União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

Astronomia e Espiritismo

Por Celso Martins

Um dos ramos científicos, quer dizer, uma das ciências que mais tem crescido desde os anos 50 para cá, fazendo audaciosas pesquisas, ampliando muito o acervo de seus conhecimentos é exatamente a Astronomia. Basta que se diga que dela se derivam, ou com ela se relacionam, a Astrofísica, a Astroquímica, a Exobiologia (estudo da possibilidade de vida fora da Terra), a Ufologia ou seja, o estudo científico dos discos voadores ou objetos voadores não identificados, os OVNIs...

Norte-americanos e russos têm lançado foguetes, satélites, sondas, até mesmo ônibus espaciais, a fim de conhecerem mais a fundo o que existe no Universo, ou, pelo menos, em nosso Sistema Solar, em nossa galáxia, a Via-Láctea. o caro leitor sabe disto porque tudo isto é notícia freqüente nos programas de rádio, de tevê e nas páginas de revistas e jornais.

James Jeans, um dos maiores astrônomos do nosso século, por exemplo, no livro The Universe Around Us (o Universo em volta de nós), chegou a afirmar textualmente:

"O número de sistemas planetários em todo o Espaço deve ser inimaginavelmente grande.

Bilhões deles podem constituir réplicas quase exalas de nosso sistema Solar e milhões de planetas constituir outras réplicas quase exalas da Terra." De igual maneira, o astrônomo russo Liapunov revela em Viagens Interplanetárias que os astrônomos vêm observando o movimento de 240 estrelas mais próximas de nós e sabem que aproximadamente umas 60 delas têm satélites.

Ora, podemos então raciocinar da seguinte maneira: A nossa galáxia tem mais de 100 bilhões de estrelas. Considerando-se a proporção sugerida pelo sábio soviético, cerca de 25 bilhões de estrelas da _Via-Láctea seriam razoavelmente centro de outros tantos sistemas planetários e, em dezenas de milhões, já podemos admitir a existência de supercivilizações.

Já no século passado, os Espíritos Superiores diziam a Kardec:

"... não vejais nesses planetas desconhecidos apenas os três reinos que se estendem ao vosso redor. Pensai, ao contrário, que assim como nenhum rosto de homem se assemelha a outro rosto em todo o gênero humano, também uma portentosa diversidade inimaginável se acha espalhada pelas moradas eternas, que vagam no seio dos espaços." o exobiologista Carl Sagan diz: "os extraterrestres podem ou não ser animais ou seres humanos, mas ao mesmo tempo podem possuir inteligência como nós, moral, capacidade artística, etc." E completa: "Ser de outro mundo pode significar sentir e pensar como nós, mas não necessariamente assemelhar-se".

Quer dizer, Sagan repete o que os Mensageiros anunciaram há mais de um século. E aí é que está: onde fica quem diga que Kardec esteja superado? Vamos, porém, prosseguir mais um pouco.

Depois de afirmar a existência de uma civilização semelhante à da Terra a 40 milhões de anos-luz, no centro da Via-Láctea, o astrofísico soviético Nicolaj Kardashev ensina:

"As civilizações cósmicas seriam de três tipos: aquelas que se encontram no mesmo grau de adiantamento da Terra e que ele classificaria de tipo I. Aquelas outras de tipo II, capazes de enviar sinais a milhões de anos-luz de distância e que sabem utilizar a energia solar de seu sistema. Aquelas outras ainda de tipo II, capazes de extrair energias enormes das estrelas em formação e de outras fontes radiantes de infinitas potências e que se concentram especialmente nos núcleos das galáxias em espiral._ Neste terceiro tipo estariam criaturas capazes de realizar viagens no espaço interestelar."

O professor Ziegel é um dos poucos cientistas soviéticos que não rejeitam, por sua parte, a hipótese dos UFOS ou os OVNIS nos céus da Terra. outra citação digna de menção é de A. W. Haslett que, no livro "Mistérios da Ciência", conjectura: "Existem outros mundos provavelmente propícios ao desenvolvimento da vida. Mas não temos elementos seguros para afirmar que eles sejam habitados. Talvez sejamos nós os únicos espécimes do gênero. Entretanto, também não será impossível que sejamos encarados, pelos habitantes de algum planeta mais adiantado, como criaturas lamentavelmente inferiores".

Então, como dizia. eu lá no começo deste comentário despretensioso, a Astronomia vem avançando, vem fazendo pesquisas, e novas luzes, novos conhecimentos, novas concepções são lançadas sobre a origem e sobre a evolução das estrelas e das galáxias. Pois muito bem!

Desde o início da Codificação, em 18 de abril de 1857, que Kardec defende abertamente a pluralidade dos mundos habitados. Evidentemente não podemos bisonhamente pensar em vida então em termos exclusivamente terrestres. É bem possível outra ou no plural, são bem possíveis outras modalidades de vida. Mas de qualquer maneira, serão outras tantas oportunidades do Espírito poder crescer para a Perfeição, marchar para o seu Criador.

Fitando, deste modo, um céu estrelado, olhando no firmamento do Brasil o Cruzeiro do Sul, analisemos como é grandiosa a Criação Divinal Vem-nos de imediato à mente aquela frase de Jesus: _ Há muitas moradas na casa do meu Pai.

Ora, em o EVANGELHO SEGUNDO o Espiritismo já aprendemos que por casa do Pai, Jesus queda dizer o Universo e por moradas as diferentes categorias de planos onde o Espírito necessariamente estagia, ganha experiência e progride, como sempre dizia o professor Leopoldo Machado, para a frente e para o alto!

Retirado de "Atualidade Espírita" - Ed O Clarim - Matão, SP