União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

PODEM SURGIR DOENÇAS COM A MEDIUNIDADE?

 

 

 

 

 

 

“SER MÉDIUM”

 

 

A mediunidade é registro paranormal que se encontra ínsito na criatura humana, à semelhança da inteligência, da razão.

 

Todo indivíduo que conscientemente ou não, capta a presença de seres espirituais é portador de mediunidade, cabendo-lhe a tarefa de desdobrar os recursos parafísicos, através de conveniente educação, graças à qual se tornará instrumento responsável para o ministério superior a que a mesma se destina.

 

Inicialmente confundida com várias patologias, sejam de ordem mental ou orgânica, a mediunidade fez-se meio para demonstrar o equívoco em que teimavam permanecer os seus adversários gratuitos ou os investigadores apressados.

 

Caracterizando uma função sempre presente no homem em todas as épocas, só a partir de Allan Kardec passou a receber estudo profundo e consideração, vindo, então, a ocupar o lugar que lhe é devido, como ponte para o intercâmbio entre os espíritos de ambos os lados da vida COM AQUELES QUE SE ENCONTRAM MERGULHADOS NA MESMA FAIXA DAS PERCEPÇÕES PSÍQUICAS NO CORPO FÍSICO.

 

Espontânea, surge em qualquer idade, posição social, denominação religiosa ou cepticismo no qual se encontre o indivíduo.

 

Normalmente chama a atenção pelos fenômenos insólitos de que se faz portadora, produzindo efeitos físicos e intelectuais, bem como manifestações na área visual, auditiva, apresentando-se com gama variada conforme as diversas expressões intelectuais, materiais e subjetivas que se exteriorizam no dia-a-dia de todos os seres humanos.

 

Direcionando a observação para as ocorrências inabituais que lhe sucedam, o médium descobre um imenso veio aurífero que, penetrado, brinda-o com gemas de inapreciável qualidade.

 

Assim como o mergulhador educa a respiração para descer nas águas profundas onde espera encontrar ostras raras, portadoras de pérolas incomuns, o médium tem o dever de disciplinar a mente, a fim de aprofundar-se no oceano ÍNTIMO e dali arrancar as preciosidades que se encontram engastadas na concha bivalve das aspirações morais e espirituais.

 

Às vezes, quando do aparecimento da mediunidade, surgem distúrbios vários, sejam na área orgânica, através de desequilíbrios E DOENÇAS, ou mediante inquietações emocionais e psiquiátricas, por debilidade da sua constituição fisiopsicológica.

 

NÃO É A MEDIUNIDADE QUE GERA O DISTÚRBIO NO ORGANISMO, MAS A AÇÃO FLUÍDICA DOS ESPÍRITOS que favorece a distonia ou não, de acordo com a qualidade de que este se reveste.

 

Por outro lado, quando a ação espiritual é salutar, uma aura de paz e de bem-estar envolve o medianeiro, auxiliando-o na preservação das forças que o nutrem e sustentam durante a existência física.

 

A educação ou desdobramento mediúnico objetiva ampliar o campo de realização paranormal, porquanto, através dos recursos próprios, tem a especial finalidade de instruir os homens, realizar a iluminação de consciências, facultar o ministério da caridade, pelas possibilidades que proporciona aos desencarnados em aflição de terem lenidos os sofrimentos, as mágoas, a ignorância...

 

A faculdade de ser médium, própria dos seres inteligentes, constitui um superior instrumento de serviço ao alcance de todos, dependendo de cada um atender-lhe a presença orgânica ou ignorá-la, apurando-lhe a sensibilidade ou perturbando-lhe o mister, DEIXANDO-A AO ABANDONO, AÍ CORRENDO RISCOS DE SER UTILIZADA POR ENTIDADES PERVERSAS OU LEVIANAS QUE SE ENCARREGARÃO DE PERTURBÁ-LA, entorpecê-la ou torná-la meio de desequilíbrio para o próprio médium como para aqueles que o cercam.

 

Não é, portanto, o ser médium ou não, MAS A CONDUTA que este se aplique que atrairá mentes que se irradiam no mesmo campo de vibrações especiais.

 

Swedendorg, ao perceber a presença da mediunidade, cientista e culto, não tergiversou em estudar a faculdade e dedicar-se ao seu exercício, brindando a humanidade com valioso patrimônio de sabedoria, esperança e paz.

 

Edgar Cayce, constatando a manifestação mediúnica de que se tornou objeto, aplicou-se ao labor pertinente e auxiliou dezenas de milhares de pacientes que lhe buscaram o socorro...

 

Adolf Hitler, depois de frequentar o Grupo Thule, de fenômenos mediúnicos, dirigido por Dietrich Eckhart, em Berlim, ensandeceu-se, e, fascinado, acreditou-se a _mão da Providência_, tornando-se destruidor de milhões de vidas e responsável por males incontáveis, que ainda permanecem na Terra...

 

A mediunidade, em si mesma, não é boa nem é má, antes, APRESENTA-SE EM CARÁTER DE NEUTRALIDADE, ensejando ao homem utilizá-la conforme lhe aprouver, desse uso derivando os resultados que acompanharão o medianeiro até o momento final da sua etapa evolutiva no corpo.

 

Espírito: Vianna de Carvalho

Médium: Divaldo P. Franco _ Médiuns e Mediunidades.