União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

Quiseram testar o Chico e provar que o espiritismo não é sério

Não precisa de médico, mas de prece

Livro: Chico Xavier na intimidade
Ramiro Gama 

Quando o caso Humberto de Campos vivia sua fase aguda, Chico era experimentado por todos os meios. Inimigos ocultos, que nos adversam a crença, procuravam apanhá-lo numa infração, num deslize, numa mistificação, em algo que ferisse a lei de César e pudesse servir de motivo para sua prisão e desabono de sua famosa mediunidade..

Numa tarde, descansando das lutas diárias, lia a um canto do seu humilde quarto, quando alguém lhe bate à porta e pede:

- Seu Chico, tenho um parente que está muito doente e venho pedir-lhe, por caridade, uma receita...

Chico atendeu. Era um senhor idoso, desconhecido em Pedro Leopoldo. Toma-lhe o papel com o nome, a idade e a residência do enfermo e diz:

- Espere um instante, vou ver o que posso fazer.

Ao sentar-se, concentra-se e o espírito de Emamnuel vem e lhe diz:

- Cuidado, Chico, com os pedidos de receitas e as aparências dos que lhe batem à porta...Escreva:

"Este doente não precisa mais de remédio, mas de prece, pois já é um desencarnado..."

O médium arregala os olhos e agradece ao seu guia. Compreende tudo e promete a si mesmo ter mais cautela...E entrega a RECEITA ao portador, que a recebe pressuroso, se surpreende com o que lê e sai correndo...

Adiante, numa esquina, outros amigos o esperavam ansiosos. 

Lêem o remédio receitado pelos espíritos e saem às pressas, verificando que o espiritismo não é uma mentira como supunham, mas uma verdade triunfante em marcha para seus destinos consoladores traçados por Jesus.

E compreenderam mais: - que os Mortos estão de Pé e mais VIVOS do que nunca!