União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

Grupo de Apoio ao Transtorno Afetivo

Nubor Orlando Facure (médico) 
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Não existe a injustiça nos desígnios de Deus.
As dificuldades com o parente difícil são necessidades tanto dele quanto nossas.

Agradeçamos a Deus a luz do entendimento que já nos permite perceber o porquê de tanto sofrimento. Dá para perceber que estamos comprometidos com Almas que necessitam do nosso socorro.
Agradeçamos a Deus tê-los juntos à nós quando tantos ainda estão perdidos no mundo.

Agradeçamos a Deus que médicos, psicólogas, cuidadores, hospitais, clínicas, remédios, exercícios e terapias diversas já estão ao nosso alcance, quando, no passado, estávamos na escuridão e de mãos vazias.

É, lugar comum, afirmarmos que sem plantarmos a boa semente não colheremos os frutos, mas, em nosso caso, a plantação exige mais do que cuidar da terra, proteger os primeiros galhos, adubar e regar. Precisaremos estar preparados para compreender as decepções dos galhos que secam, de folhas que caem, de espinhos que ferrem – e, mesmo assim, vamos perseverar..
Acusações e sentimentos de culpa não devem fazer parte do nosso vocabulário – um dia abençoaremos essa luta.
Não esperemos pelos outros - o que tem de ser feito pode começar e acabar em nós.

Não perturbemos com exigências que não temos direito de exigir - cada um vive no universo das suas próprias dificuldades.
Não cultivemos ilusões a nosso respeito – não somos nem mais nem menos felizes do que merecemos – auto-piedade corroi tanto quanto o câncer.

Sejamos cooperativos, todos tem alguma coisa a nos ensinar.
Os especialistas da economia ensinam – a não perder o foco
Os terapeutas apontam – a não perder a paciência
Os cuidadores exemplificam – a não perder a esperança
Os mais velhos ensinam – a não perder o respeito uns pelos outros.
Aprendamos a controlar a emoção descabida, o pensamento perturbado e a palavra ofensiva.

Diante da perturbação dos outros evitemos perturbar mais ainda com o nosso descontrole.
O silencio e o perdão sem restrições constroem mais que palavras e prisões.

Cumpramos as obrigações que são nossas que Jesus fará o resto pelos outros.