União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

Incontinência

 

Recomendar-lhe a castidade quando as pessoas se degradam em ligações clandestinas, nos braços de amantes, seria temeridade e hipocrisia. 

Você faria, dentro em pouco, o que elas fazem, sobre a ignomínia da culpa, a ignomínia da mentira, daí, a audácia do meu conselho. 

Se puder resistir à sua carne, aos seus nervos rebeldes, aos seus sentidos alarmados, resista, será heróico e sublime. A tranqüilidade de sua velhice será o prêmio, dessa renúncia na mocidade. 

Se, porém, não encontrar na própria alma energias para vencer o corpo, eleja um cônjuge. Faça-o, entretanto, publicamente. Nada de subterfúgios, de mistérios, de clandestinidade.

Funde, com ele, um lar.

A noção da responsabilidade assumida em público fa-los-á, a um e a outro, cautelosos na escolha, assegurando-lhes, assim, a honestidade e a duração da ventura.

Amores escondidos são amores transitórios. Amante que foge, é amante substituído. E quando alguém adota esse regime, o amor perdeu o seu nome. Chama-se prostituição. 

O meu conselho é, como se vê, prudente e humano. Você é livre e quer ser feliz. Faltam-lhe as grandes forças interiores, as poderosas energias mentais, que neutralizam os gritos da carne e dos nervos, e elevam a pessoa acima do seu sexo, purificada da animalidade comum. 

Evite, todavia, em quaisquer circunstâncias, a pessoa que não quiser, em público, assumir os encargos do seu destino. A casa de
família em que se entra escondido deixa de ser um lar para ser um prostíbulo.

E a pessoa, que vai encontrar-se secretamente com outra, perde o seu título de honrada para tomar o de meretriz. Aquela pessoa que não fizer um sacrifício igual ao seu, abandonando tudo, e tudo afrontando, para viver ao seu lado, deve ser tomada, simplesmente, como sedutora vulgar e covarde, semelhante aos rufiões que exploram as mulheres na sombra, desfrutando as vantagens e fugindo às responsabilidades.

Repila, em suma, o amante. E aceite o cônjuge. 

Para doença tão grave, era este, o remédio menos venenoso que havia em minha farmácia. 

Autor:  Humberto de Campos (espírito)