União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

RESGATANDO UMA ENTREVISTA DE DIVALDO 2005

 

 

 

A reportagem do jornal O Arauto passando pela cidade de Araçatuba, no interior do Estado tomou conhecimento de uma entrevista de Divaldo P. Franco, quando de sua estada por lá, em 2005. A entrevista foi publicada no Jornal local, a Folha de Região.

Como aborda temas importantes com esclarecimentos à luz da Doutrina Espírita, este Jornal resolveu resgatá-la para a Imprensa Espírita.

 

TEMAS ABORDADOS - mediunidade, de onde viemos? Corrupção, mortes prematuras, sofrimentos, depressão, umbanda, injustiça social, felicidade, a fé, o mal e o bem, o amor.

 

Jornal – Qual a importância da mediunidade? Em que ela contribui?

- A mediunidade é o sexto sentido, é um processo antroposociopsicológico do indivíduo. Ela contribui provando que a vida não termina no túmulo porque é graças a essa faculdade que os chamados mortos voltam. A mediunidade abre caminho para melhor entendimento da vida, da saúde, dos objetivos e das metas essenciais da vida.

 

Jornal – Uma pergunta filosófica que os seres humanos sempre fazem: - de onde viemos e para onde vamos? A Doutrina explica?

 

- Sim, é claro. Nós aqui chegamos pela misericórdia da vida. O nosso conceito é que Deus nos criou, não conforme a tradição antropológica da Bíblia. Nós acreditamos que Deus criou o psiquismo, o princípio, que mais tarde se transformará no ser que hoje somos habitando o corpo físico. É uma aglutinação de energia em que tudo se transforma. Evolui e desenvolve a consciência da razão, mas não é a etapa final. Ainda evolui a intuição, quando adquiri a angelitude.

 

 

Jornal – Como o senhor vê a corrupção, principalmente entre os políticos?

- A corrupção é um fenômeno sociológico desta época. Todo o mundo, guardadas as proporções, apresenta altos índices de indignidade moral, especialmente na política. Lamentavelmente nós nos encontramos entre aqueles que mais se destacam no cenário da Terra, como sendo um povo cujos valores éticos e morais nem sempre são respeitados.  Mas de maneira alguma tal fato interrompe a tarefa futura que nos está reservada.

 

Jornal - Como a Doutrina Espírita vê a fé?

 

- A fé é um atributo natural, todos nós temos uma fé em algo, espontaneamente. Entretanto temos a fé natural e a fé racional. Essa ultima resultados de pesquisas e reflexões. Neste panorama temos várias vertentes. Para a Doutrina Espírita a fé religiosa é uma espontânea manifestação da presença de Deus em nós. O Espiritismo apresenta uma filosofia que nos leva a pensar pela lógica, através da qual nós somente aceitamos o que podemos dirigir e digerir intelectualmente. Por isso o Espiritismo é uma doutrina que se baseia em postulados filosóficos que podem ser confirmados na experiência científica de um laboratório. Daí o Espiritismo é uma ciência que apresenta um ângulo filosófico, com as conseqüências  ético-morais e religiosas.

 

Jornal – Por que algumas pessoas morrem tão jovens?

-As mortes prematuras são resultados de experiências nas quais o indivíduo, tendo se suicidado, eliminou um período da vida anterior. Desta forma ela reencarna-se por curto espaço de tempo, apenas para cumprir aquela etapa que ele amputou.

 

Jornal - Por que algumas pessoas sofrem tanto para morrer, como aquelas que passam por doenças trágicas, ficando em uma cama, ardendo em dor física e espiritual?

- Porque são pessoas com espíritos mais endividados. A lei é de progresso. O progresso se dá por meio do amor ou pelo sofrimento. Há duas opções; quando nós amamos, eliminamos o sofrimento que iríamos experimentar, porque o bem é um peso positivo que anula o mal.

 

Jornal – É comum as pessoas confundirem o Espiritismo com obras de terreiro?

- É muito comum, principalmente no Brasil. Nosso atavismo africanista é muito forte. Toda vez que se fala de fenômenos paranormais, mediúnicos ou de doutrina espírita, há uma inevitável confusão com os fenômenos africanistas, com as velhas tradições das superstições porque as pessoas pensam que o Espiritismo é a mesma doutrina que aborda o candomblé, a umbanda.

 

Jornal – De que forma a Doutrina Espírita vê as injustiças sociais?

- De acordo com a doutrina Espírita, cada pessoa constrói seu próprio destino. Se a pessoa desempenha as tarefas com nobreza ela vai ter felicidade. Se realiza com desonestidade, ela volta para sofrer as consequencias. As injustiças sociais são resultados do egoísmo humano.

 

Jornal – Segundo a Organização mundial da Saúde, a depressão acomete um número cada vê maior de pessoas. Por que isso acontece?

 

Porque o ser humano contemporâneo vive angustiado, gerando a ansiedade, que por sua vez gera o conflito transformando-se em depressão.

 

Jornal – Quem faz o mal recebe o mal?

- quem faz o mal para alguém é o mal que realizamos a nós próprios. O mesmo acontece com quem faz o bem. Toda

Ação produz uma reação.

 

Jornal – O que é felicidade?

- Felicidade é um estado interior de emoção que decorre da consciência tranquila pela conduta correta e pelo amor.

 

Jornal – Deixe sua mensagem final:

- Vale a pena amar. Quem ama é mais feliz do que aquele que é amado. Quando nós amamos atingimos o estado de plenitude. Quando queremos ser amados atingimos o estado de crianças psicológicas. Quem por acaso não nos ama, o problema é da pessoa, não é nosso. Já, se nós não amamos,

o problema é nosso. A mensagem é amar sempre.