União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

O ESPIRITISMO E CURAS NA VISÃO MÉDICA - Dra. Marlene Nobre

 

 

 

 

 

 

*Não sei se a colocação se enquadra no tema proposto, porém, é uma questão que

nos intriga:

"O avanço de depressões graves, e outras moléstias que se alastram e que surgem

ligadas a processos de obsessão epidêmica. Nos parece que não tem merecido a

atenção que merece a situação e o momento, pelo movimento espírita e os médicos

espíritas.

Se for útil, abordar e aprofundar o tema, tudo bem, se não for conveniente

também.

 

Resposta: Talvez você tenha razão. Realmente, temos de refletir, de forma

crítica, sobre a nossa atuação dentro e fora do movimento.

O fato é que, segundo André Luiz, nesta fase evolutiva do globo,  o ser humano

está com suas faculdades mediúnicas mais alargadas,  o que lhe torna mais amplo

o contato com a esfera espiritual inferior, que está mais próxima da crosta

terrestre.  Com isto, a pressão dos desencarnados é maior e o número de casos de

obsessão aumenta a cada dia. Estamos, no entanto, despreparados para facear

esta dura realidade espiritual, porque, praticamente, o mundo todo a

desconhece. Não devemos nos esquecer de que os espíritas têm sido recriminados

e mesmo discriminados pelo fato de realizarem sessões de desobsessão. Somos

muito poucos ainda a trabalhar nas reuniões de socorro aos irmãos

desencarnados, denominadas pelos mentores de verdadeiras Clínicas

Psiquiátricas, que funcionam em auxílio à mente humana. Pelo que tenho

conhecimento, os médicos das AMEs não só participam de sessões de desobsessão,

como médiuns, como também a recomendam aos seus pacientes, quando há indicação

e estes aceitam o tratamento complementar espírita. Como afirmei, em meu livro,

A Obsessão e suas Máscaras, precisamos juntar as experiências de médicos,

psicólogos e pessoal da saúde, com as dos tarefeiros da Casa Espírita, no campo

da desobsessão, para auxiliar mais amplamente aos pacientes. 

 Reconhecemos, todavia, que somos poucos ainda, para tratar de um grande

número. Estamos confiantes, todavia, que este número aumentará, com o passar do

tempo.

 

*Vemos uma grande aceitação das pessoas comuns, de alguns profissionais da área

de saúde, em indicar a yoga (meditação) como receita para diversos males.

Observamos com isso, que pouca rejeição há relacionado a yoga e suas práticas.

Não deveria o Espiritismo, assim como sugeriu Kardec, atender a todos os

propósitos humanitários, sem a rejeição que há, pelas pessoas, relacionado ao

Espiritismo? Onde está havendo falha por parte do Movimento Espírita?

 

Resposta: Creio que o preconceito religioso é ainda a maior barreira. Basta

observar a intolerância religiosa disseminada por toda parte. Na cabeça das

pessoas, a yoga e outras práticas orientais não são consideradas religiosas, no

sentido de uma religião formal, que possa competir com as que elas professam.

São vistas mais como exercícios que fazem bem à saúde. Talvez, por isso, seja

mais fácil aceitá-las. E temos de reconhecer que, realmente, a yoga é uma

prática milenar, que faz muito bem à saúde, e que há milênios vem ajudando o

ser humano a encontrar os caminhos da Espiritualidade. Com a penetração no

ocidente, ela vem cumprindo um papel importante que é o de chamar a atenção

para o valor da meditação e do cultivo da paz.

 Dentro do movimento espírita, mesmo recebendo instruções dos mentores

espirituais nesse sentido, nossa prática de meditação tem sido praticamente

nula. Não temos sabido utilizá-la, com proveito, para a nossa saúde.

Quanto`a aceitação da prática espírita, por parte das pessoas, creio que é uma

questão de tempo. Pesquisa de opinião realizada na cidade de Porto Alegre, em

1998, pelo Instituto Segmento, mostra que muitas pessoas procuram os templos

espíritas em busca de alívio e socorro para seus males, porque confiam no

tratamento espiritual; um grande número, porém, não se fixa, definitivamente,

na prática da Doutrina, por não estarem preparados para o exercício de

auto-conhecimento e  reforma íntima, segundo declararam.

 É preciso também uma postura mais compreensiva e fraterna de nossa parte. Sem

perder a nossa identidade, podemos abrir o nosso entendimento para outras

religiões e práticas, com verdadeiro espírito de fraternidade. Desse modo,

acabaremos por quebrar muitas resistências.  Precisamos dialogar mais. Mostrar

mais o nosso lado de compreensão e respeito em relação à fé que o nosso

semelhante possui.

 

*Porque os pacientes que se submetem às cirurgias espirituais com corte, não

sentem dores. Como se processa este "anestésico" espiritual?

 

Resposta:  Os recursos de que se utilizam os Espíritos estão ligados ao

ectoplasma.  Esta energia sutil, praticamente desconhecida em sua constituição,

deve atuar em áreas do nosso cérebro, em particular sobre a glândula pineal,

favorecendo o fenômeno. Para tanto, é preciso que o médium e as pessoas que

trabalham ao seu lado mantenham um clima de serviço desinteressado, em que a

caridade e o amor ao próximo sejam o móvel principal.

 

*Dra. Marlene, parabéns pelo belo trabalho de pesquisa que a AME faz,

aproximando a ciência médica, principalmente na questão relacionada com o maior

entendimento da função da epífise, com a Doutrina Espírita.

Como presidente desta importante associação como encara e administra a

possibilidade de alguns pesquisadores se distanciarem dos fundamentos da

doutrina, calcados mais no conhecimento científico que no filosófico e

religioso, bases da doutrina espírita?

 

Resposta:  Primeiramente, agradeço-lhe as palavras de incentivo ao trabalho das

AMEs. Nosso movimento de união entre Ciência e Religião apenas começa. Temos

uma longa luta pela frente, porque o campo de pesquisa exige tempo, estrutura,

e financiamento; seguimos, porém, confiantes, na certeza de que um dia este

período inicial de plantio cederá lugar à colheita desejada.

Com relação ao distanciamento dos fundamentos da doutrina, não estamos

preocupados, porque os fracassos estão previstos em todos os setores da

experiência humana. Se o livre arbítrio é apanágio de todo ser humano, por que

não funcionaria igualmente para o tarefeiro da ciência espírita? Do mesmo modo

que constatamos, com tristeza, o fracasso de grandes médiuns e servidores da

Doutrina, podemos imaginá-lo acontecendo entre médicos ou pesquisadores

espíritas. Evoluímos exatamente dessa forma, caindo aqui, levantando ali, até

que, após incontáveis tentativas, muitas vezes repletas de sofrimentos,

descobrimos onde se encontram os nossos verdadeiros interesses, mantendo nossos

compromissos de fidelidade a Deus. Que o Pai nos ajude a não fracassarmos, a

honramos esses compromissos.

 

*Já há algum tratamento espiritual  ou casa espírita dedicada ao encaminhamento

da cura da AIDS e adicção por drogas? Segundo a visão espírita, a que se deve

tais epidemias?

 

Resposta: Hoje, já existem remédios para controle da Aids, que mantêm o

paciente atuante, com melhor qualidade de vida. Ainda não há cura definitiva,

mas, sem dúvida, a sobrevida é bem maior. É a misericórdia divina, minimizando

a dor humana.

Em uma linguagem figurada, poderíamos dizer que o ser humano acha aquilo que

procura. Tem sido assim, desde as pestes da antiguidade, até os dias de hoje.

Os agentes infecciosos estão por toda parte e atuam quando encontram campo

propício.

Segundo André Luiz, em Evolução em Dois Mundos, e Emmanuel , em Pensamento e

Vida, além de outros autores, a origem profunda das infecções tem de ser

buscada, em última análise, nos desequilíbrios da mente humana.

A adicção de drogas existe desde a mais remota antiguidade, e está ligada, em

geral, `a fuga do ser humano com relação  aos seus deveres espirituais. Há

inúmeras Casas Espíritas que se dedicam ao auxílio de irmãos portadores de aids

e de drogaditos. Seria interessante que você recorresse às nossas instituições

mais abrangentes, como a FEB, a USE e a FEESP, para conhecer melhor os

endereços e formas de trabalho das nossas casas assistenciais.

 

*É permitido ao médium realizar as famosas cirurgias espirituais? Não estará ele

praticando exercício ilegal de medicina?

 

Resposta: As cirurgias espirituais devem ser realizadas sem o emprego de

instrumentos cirúrgicos ou objetos cortantes. Se forem feitas dessa forma,

apenas com o emprego das mãos, não há razão para serem consideradas como

exercício ilegal da medicina. Aplicada assim, seria como um passe na Casa

Espírita, identificada mais como prática religiosa. Aliás, as AMEs gostariam

muito de realizar pesquisas com médiuns que não utilizassem instrumentos

cortantes e que realmente exercessem a mediunidade, sem qualquer outro intuito

que não  fosse o de ajudar gratuitamente.

 

*Quais casos pesquisados de curas espirituais já foram pesquisados dentro do

rigor científico e escaparam a explicações tais quais fraude?

 

Resposta: A dificuldade de pesquisa é muito grande, porque os médiuns começam

bem e terminam muito mal. Em geral, iniciam o trabalho com uma mediunidade

portentosa, muito idealismo, mas, terminam mal. Perdem a faculdade, porque

passam a cobrar pelos benefícios, inclusive em dólares, quando recebem

caravanas do exterior. Por esta razão, é tão difícil pesquisar a mediunidade de

cura.

 

* Trabalho em um grupo espírita que realiza atividades de curas espirituais.

Procuramos realizar um seminário, aqui em Fortaleza, sobre o tema, e

infelizmente vimos que o assunto é pouco estudado. Existem

"instituições-modelos" que tratem do tema de modo científico?

 

Resposta: Como eu respondi, anteriormente, a dificuldade nessa área é grande,

porque os médiuns são muito instáveis, raramente permanecem na tarefa de ajuda

à humanidade, com desinteresse total, dando de graça o que de graça receberam.

Por isso, é tão difícil para nós realizarmos uma pesquisa genuína.

 

*Um paciente de câncer, deve procurar tratamentos espirituais e alopáticos, ou

só espirituais?

 

Resposta: Não há razão para que o paciente de câncer abandone o tratamento

convencional para tratar-se espiritualmente, a não ser que a equipe médica

terrena declare que não tem mais nada a fazer, que o paciente está forma de

possibilidade de tratamento. Ambas as terapias, a convencional e a espiritual,

devem e podem ser feitas ao mesmo tempo. Temos visto verdadeiros descalabros,

quando o paciente deixa o apoio do tratamento médico para aventurar-se por um

caminho que desconhece.

Acredito em curas espirituais. Já acompanhei, inclusive, alguns casos que

confirmam isto, no entanto, são raros os que têm merecimento para alcançar a

cura. Nosso mundo ainda é de provas e expiações, por isso é preciso aliar fé e

discernimento nesses momentos difíceis.

 

*Gostaria de saber se está comprovado, cientificamente, e se a ciência atual

aceita as curas espirituais.

 

Resposta: Infelizmente, ainda não aceita, porque as comprovações não têm sido

feitas com o rigor científico necessário. 

Quero lembrar que a ciência não é materialista, nem espiritualista, os médicos

ou os cientistas é que podem ser uma ou outra coisa.

 

*Tenho dificuldade de manter ereção, e creio que isso está piorando. Sou casado,

e agora tenho dificuldade até em excitar-me. Há quase 2 meses não mantenho

relação com minha esposa, fiz 3 exames com urologistas e tudo deu normal,

disseram-me que é psicológico o que faço?

 

Resposta: Siga instruções médicas, procure aconselhamento psicológico. Se for

aplicável ao seu caso, dentro da psicoterapia, faça terapia regressiva a

vivências passadas (TVP). Para isso é preciso procurar terapeuta confiável. Ao

mesmo tempo, receba o tratamento complementar espírita, quer dizer, tome

passes, utilize água fluidificada, procure auto-conhecer-se. Se for constatada

alguma interferência espiritual, busque melhor orientação para tratamento na

Casa Espírita que freqüenta.

 

*Tem o Espiritismo (principalmente a parte de cura pelas mãos) e a acupuntura a

chave para o conhecimento de energias do corpo?

 

Resposta: Infelizmente ainda não temos tecnologia para isso. Há, no entanto,

muitos estudiosos do assunto e livros bastante esclarecedores de investigadores

que aliam acupuntura a centros de força (chacras). Mas o que se tem de

informação vem sempre dos médiuns videntes capazes de ver o perispírito, a aura

e os centros de força.

 

*Duas pessoas com doenças idênticas, uma pode ser curada e a outra não, por ser

portadora de doença cármica, ainda não resgatada. Essa afirmação nossa é

correta?

 

Resposta: Em tese, diríamos que sim. A cura é peculiar a cada pessoa. Do mesmo

modo que saúde e doença têm significados diferentes para cada ser humano.

Muitas vezes, a reação de uma pessoa frente a um antibiótico, por exemplo, é de

total aproveitamento, ao passo que a de outra é de rejeição.  Com isso, a cura

pode se dar ou não.

 

*A ciência médica ainda não aceita a visão espírita do homem (corpo, perispírito

e espírito), mas sabemos que algumas doenças têm origem fora da matéria. Porque

a relutância da classe médica em estudar tais casos para ajudar o paciente?

 

Resposta: O modelo seguido nas universidades afasta a idéia da visão integral

do ser humano, a que abarca alma e matéria. Durante mais de três séculos, as

doenças têm sido vistas como frutos do mau funcionamento da maquinaria

orgânica. Para romper este paradigma materialista reducionista não é nada fácil.

 

*Como ocorre o processo de cura de uma enfermidade em um tratamento espiritual?

 

Resposta: Não conhecemos todo o processo de cura, todavia, pela revelação

espiritual deduzimos que a energia sutil oferecida pelo médium – o ectoplasma –

com a ajuda espiritual dos Benfeitores e a colaboração mental do paciente - 

restaura-lhe o perispírito lesado com a conseqüente cura do organismo.

 

*De que maneira podemos afirmar que a cura de uma doença realmente ocorreu

através de um tratamento espiritual, ou seja, quais os critérios científicos e

doutrinários utilizados para tal conclusão?

 

Resposta: Para que se tenha a comprovação da cura é necessário que se documente

todo o processo de maneira científica. Antes e depois do tratamento devem ser

feitos os exames complementares e demais investigações que constatem a cura.

 

*A obesidade e ansiedade podem ter relação e cura ou amenização através do

espiritismo?

 

Resposta: Todos os processos mórbidos podem ser auxiliados pelo espiritismo,

porque o auto-conhecimento e a reforma íntima são muito importantes como fonte

de saúde e equilíbrio.

 

*Considerando a emergência da chamada Psicologia Espírita, tanto em livros de

autores encarnados quanto desencarnados, como podemos pensar na cura não apenas

do ponto de vista médica, mas de um ponto de vista integral, incluindo as

questões psico-emocionais e psicossociais?

 

Resposta: É preciso sempre integrar Espiritualidade ao tratamento. No exercício

da Medicina da Alma é importante cuidar de todos os fatores que  favoreçam a

cura do paciente. Dizemos que é a prática da medicina biopsicosocioespiritual.

 

*Conheci uma mãe que tem duas filhas, uma de 8 anos e outra de quase dois anos e

meio. Esta filha melhor ainda não começou a andar. Eu a vi e senti que ela pode

andar. Mas como posso fazer para curar esta criança. Acredito na cura

espiritual. Tenho procurado estudar o Espiritismo. Estou em Israel há sete

anos.  Poderia me ajudar, orientar.

 

Resposta: Hoje já existem milhares de trabalhos científicos comprovando o poder

da oração. Seria muito interessante que você pudesse participar de um grupo,

mesmo que seja pequeno, constituído de pessoas de boa vontade, e que  possam

orar juntas por essa criança. Isto tem muito mais valor do que podemos imaginar.

 

*Posso ser curada de doenças mentais?

 

Resposta: Os doentes têm de se conscientizar de que a saúde significa perfeita

harmonia da alma. Para alcançá-la é preciso, portanto, muitas encarnações.

Podemos, no entanto, receber ajuda da Misericórdia Divina seja qual for o

estágio em que nos encontremos, porque o Pai não desampara seus filhos.

 

*Sou psicóloga e comecei a trabalhar no serviço de saúde mental pública de

Camaquã, o que a Sra. indica como leitura de estudo  sobre a psicopatia do

ponto de vista médico espírita?

 

Resposta: Escrevi algo sobre isso em meu livro A Alma da Matéria, mas existem

também dois outros editados pela AME-Brasil: Saúde e Espiritismo e Medicina e

Espiritismo, que talvez lhe sejam úteis. Além disso, em toda coletânea do

Espírito André Luiz você encontra estudos importantes sobre o assunto, do mesmo

modo no livro Pensamento e Vida, de Emmanuel.

 

*Eu entendo que existe uma responsabilidade muito grande em trabalhar na área

medica, e estou ciente que existe uma considerável grande comunidade

médico-espírita no Brasil. Qual tem sido o trabalho prático desta comunidade?

Quais os trabalhos no exterior que você tenha conhecimento? E que tipo de

assistência, pessoas como eu, fora da área medica, podemos contribuir de alguma

forma?

 

Resposta: Como já respondi, estamos ainda na fase de semeadura em nosso

movimento médico espírita. Temos linhas de pesquisa já delineadas, mas o volume

de trabalho vai se desenvolvendo lentamente. Precisamos aguardar um pouco mais,

para fazermos tudo dentro do rigor científico necessário. Nossos médicos têm

procurado atender aos irmãos do caminho, dentro da visão integral do ser

humano, colocando em prática o paradigma médico-espírita. Através de

congressos, cursos, livros, vídeos e outras atividades, temos divulgado esses

novos conceitos que unem Ciência e Espiritualidade. Enfim, temos feito pouco,

mas o que está ao nosso alcance.

Os que estão fora da área médica podem contribuir de muitas maneiras. Já falei

como a Casa Espírita pode contribuir com as nossas pesquisas, auxiliando-nos a

provar a excelência do tratamento espiritual. Precisamos também de apoio aos

nossos eventos e, sobretudo, do auxílio das preces fraternas de todos vocês

para que erremos menos e trabalhemos mais.

 

Autor: Marlene Nobre

 

Todo esse material provém dos sites: CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo e da Revista Eletrônica O Consolador.