União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

RICHARD SIMONET - ENTREVISTA ( TEMAS GERAIS)

    

 

 

 

 

Entrevistas com Richard Simonetti


Fonte: Grupo de Estudos Avançados Espíritas - GEAE
PROJETO ENTREVISTA ELETRÔNICA

Família e namoro

11/09/2003 - Como se dar bem num relacionamento à dois sendo que minha família não simpatiza com meu namorado?

Prezada amiga, é difícil responder a sua pergunta porque os relacionamentos humanos podem ser muito complicados.

Em primeiro lugar não sabemos os motivos dessa antipatia ou mesmo se existem motivos. Não sabemos como é o comportamento do seu namorado numa cidade pequena como a que você mora. Digo, pequena em relação aos grandes centros urbanos do seu e de outros Estados.

Às vezes a conduta e a fama de alguns jovens podem complicar relacionamentos sérios, por incompreensão da família, que quer preservar o seu membro. Mas pode ser, também, falta de conhecimento mais profundo.

Pode ser que o relacionamento superficial leve a julgamentos e veredictos incorretos. Às vezes a fase doidivanas de um jovem, como brigas, farras, falta de vontade de trabalhar, má conduta escolar, pode marcá-los por muito tempo. Acreditamos que o caminho é conquistar a família e isto pode ser feito por ele.

Gentileza, educação, amizade, respeito aos valores cultivados pela família são essenciais.

Como você pode verificar, responder pergunta tão profunda que nos veio em duas linhas de um e-mail, é extremamente difícil.

Só podemos fazer suposições dos motivos. Não sabemos se você é menor de idade, o que levaria a família a ter cuidados redobrados. A verdade é que o namorado é seu e não da sua família, mas para tomar essa atitude você terá que assumir essa postura e arcar com as conseqüências. Se vocês realmente se amam e se respeitam e não seja apenas um namorico, um passatempo, converse serenamente com a sua família.

Exponha as suas razões e escute pacientemente as deles. Peça uma oportunidade, um tempo para que o seu namorado possa demonstrar o seu caráter e conquistar a amizade dos familiares.

Fracassos na vida

19/02/2003 - Minha pergunta é como devo agir para conseguir terminar tudo o que começo e por razão que não entendo não concluo, isso me deixa muito ansiosa e infeliz. Será que isso se deve a parentes desencarnados que ficam em nossa casa? Outra coisa, eu me sinto nadando contra a correnteza e quando parece que vou chegar, minhas forças se acabam. Me ajudem com suas palavras esclarecedoras! Obrigada.

Prezada amiga, Allan Kardec ensina que só podemos debitar um fenômeno à conta dos espíritos, depois de ter investigado todas as possibilidades naturais. Ele cita o exemplo de ruídos noturnos, como o bater de uma janela, um galho de uma árvore que raspa num telhado. Contudo, podemos incluir as influenciações que acontecem no nosso mundo íntimo.

Você acha que a incapacidade de terminar os projetos que você inicia possa ser influência de espíritos. Até pode ser, mas é preciso uma investigação sincera e profunda. Os seus problemas podem ser também, psicológicos. Aproveite a motivação de um ano novo e mude a sua vida.

Deus lhe criou com todas as potencialidades das perfeições, mas você precisa trabalhar para despertá-las e desenvolvê-las. Deus lhe criou para a felicidade e a vitória. A vitória você terá que aprender a construí-la e partilhá-la com o próximo, porque ninguém pode ser feliz sozinho.

Não coloque a culpa dos seus fracassos nos espíritos. Examine-se profundamente, pois se tem espíritos que podem lhe prejudicar consciente ou inconscientemente, há os bons espíritos que lhe amam e querem lhe ajudar.

Mediunidade de inspiração

11/2/2002 - Uma colega nos pede comentário sobre a mediunidade de inspiração.

Prezada M. Primeiro vamos falar de mediunidade genericamente, lembrando que o melhor e mais perfeito compêndio sobre mediunidade, que existe, é O Livros dos Médiuns, de Allan Kardec. Alguns autores deram grandes contribuições sobre o assunto, especialmente Herculano Pires, com o seu livro - Mediunidade, Vida e Comunicação.

Tivemos um autor, já desencarnado, o Eliseu Rigonati, que escreveu um livro extremamente simples, que fez grande sucesso décadas atrás, e que ainda orienta os iniciantes, chama-se - Mediunidade Sem Lágrimas. A mediunidade é faculdade natural dos seres humanos, portanto ela não existe em animais. Estes podem ter uma percepção extrasensorial, mas não é mediunidade. A mediunidade não é prêmio, nem castigo, mas condição inerente aos homens. Embora ela seja generalizada, o grau de sensibilidade e capacidade de cada um é diferente. Alguns, mal se apercebem da presença de fluidos ou espíritos, outros, como Francisco Cândido Xavier, tem as faculdades em alto grau.

A mediunidade de inspiração é a possibilidade do médium receber pensamentos dos espíritos, ou elevar-se a uma condição que percebe os pensamentos ambientes e pode reproduzi-los ao seu modo. Ela é muito útil a escritores, poetas e oradores. Quando os poetas da antigüidade evocavam as musas inspiradoras, nada mais fazia que evocar os espíritos para inspirá-los. Há oradores espíritas que falam sob grande inspiração, mas isso não os desobrigam a preparar as palestras. Estude bastante, troque idéias com amigos e expositores. Estude muito O Livro dos Médiuns, de Allan Kardec.

Morte em família

29/05/2003 - Como a Doutrina Espírita explica, dentro de uma família, filha criada com amor e carinho, por questões financeira participa da morte de seus pais? Caso que a imprensa divulgou recentemente, que aconteceu com uma família de São Paulo.

O Espiritismo nos ensina que as famílias são formadas por laços espirituais e laços materiais. No segundo caso são espíritos que tem problemas entre si, que já se odiaram, foram inimigos ou são indiferentes.

As famílias, quando equilibradas, evoluídas, amorosas, são formadas por grupos de espíritos afins. O resultado são famílias harmônicas, felizes, unidas. Entretanto, nenhuma família pode fechar-se no egoísmo e recebe espíritos estranhos ao grupo, e estes podem destoar, caracterizando-se como a ovelha negra da família.

De outras vezes, espíritos muito atrasados, na tentativa de evoluir, pedem para reencarnar numa família estabilizada, para usufruir os bons exemplos do grupo, e o pulso firme do chefe da família. Logicamente não temos como identificar qual a situação, das demonstradas, em que a jovem que participou do assassinato dos pais está incluída, mas com certeza, além dos problemas trazidos de outras vidas, há as influências atuais de pedantismo, desejo de liberdade sem limites, e a influência do consumismo, do desejo de gozar a vida sem cerceamento, disciplina e sem peias morais.

Não sabemos, também, o que se passava dentro do lar, como era o relacionamento entre os membros da família. Logicamente, nem tudo virá a publico, e não interessa que venha. Precisamos sim, trabalhar para que as famílias sejam unidas, compreensivas, amorosas, unidas.

O acaso e o determinismo

30/04/2003 - Fazemos o Evangelho no Lar e estudando esse tema, um parente, membro do grupo, nos colocou que acredita nas coisas que acontecem por acaso, mas precisamente, que alguém pode morrer por acaso, que estava na hora errada no momento errado e por isso morreu, mas que na verdade não era sua hora. Eu particularmente, não acredito no acaso, acredito que se alguém morre e porque chegou sua hora. Minha duvida esta ai, existe na verdade o acaso ou meu pensamento esta certo em acreditar que tudo tem sua hora e as coisas não acontecem do nada.

Na realidade não existe o acaso. Se a vida fosse regida pelo acaso seria muito instável. Entretanto não existe um determinismo absoluto, como muitas pessoas colocam, e que nos parece ser o seu pensamento.

Temos que encontrar a relatividade entre o que se chama acaso, e determinismo. O espírito reencarna com a possibilidade de passar por determinadas coisas. Por exemplo, pode viver numa área onde há possibilidades de ser atingido por uma bala perdida. Quem vive numa cidade grande, com um enorme contingente de veículos automotores e tem que ir às ruas, tem a possibilidade de ser atropelado e morrer, ou ficar muito ferido e até paralítico.

Veja, por exemplo, os casamentos. Há quem diga que ninguém casa com a pessoa errada. Pensamos que casa sim. Há casamentos programados antes do nascimento? Sim, há. Mas não são todos.

Será que quem fica viúvo e casa uma segunda, terceira vez teria programados todos esses casamentos? Num mundo de expiações e provas, como o nosso, estamos sujeitos aos azares do ambiente.

Se você for fazer uma excursão numa mata, sem roupa adequada, sem botas de cano longo e for picado por uma cobra, não quer dizer que tudo estava preparado assim. Foi o descuido, o despreparo que causou o acidente.

Livre arbítrio e exageros da humanidade

02/06/2003 - Sei que todos nós temos o livre arbítrio para pensar e agir, mas para mim é muito difícil entender porque Deus e também a espiritualidade maior permitem que certas coisas aconteçam. É tanta fome, tantas guerras, mães que chegam a matar seus filhos pequenos, crianças que na sua maioria não sabem ainda o que estão fazendo: na minha opinião, esta é a pior forma de violência, maltratar crianças indefesas, isso me dói fundo. Ninguém tem o direito de tirar a oportunidade de encarnação de uma pessoa, ninguém tem o direito de maltratar alguém. É difícil aceitar tudo isso, eu sei que muitas vezes é resgate, mas será que tem que ser desta forma?

Prezada amiga, seus questionamentos são mesmo profundos e somente os espíritos de maior elevação poderia responder.

Com tudo, não é difícil entender que estamos num mundo de expiações e provas, onde a maioria dos seus habitantes são espíritos atrasados, endividados, orgulhosos, egoístas.

As coisas acontecem pelo livre arbítrio dos homens. Fome, guerras, assassinatos, infanticídios, maltratos são próprios de mundos inferiores. Na terceira parte do Livro dos Espíritos, Leis Morais, na Lei Justiça, Amor e Caridade, Kardec perguntou qual é o primeiro dos direitos naturais do homem e os espíritos responderam que é o de viver.

Comentaram ainda que é por isso que ninguém tem o direito de maltratar outra pessoa. Existem muitas situações que são realmente resgates, e muitas outras são injustiças humanas. Precisamos trabalhar para que o nosso mundo se torne mais justo, bom e ninguém venha a morrer de fome ou de desprezo. Faça da sua parte todo bem que puder. Dê bons exemplos e vai apressar a vinda deste mundo novo.

Mais leitura no Centro Espírita

03/01/2002 - O que fazer para que os companheiros dos centros espíritas leiam mais?

Sua preocupação é digna de elogios, pois é preciso fazer com que os espíritas leiam mais e estudem muito mais. Tudo que puder ser feito é elogiável, como sorteio de livros com o compromisso da pessoa relatar o que leu.

Incentivo constante para que as pessoas leiam. Exemplos dos dirigentes mostrando que são bons leitores. Indicação de obras doutrinárias de valor. Criação de Bibliotecas Circulantes, para empréstimos e muitas outras coisas. Infelizmente a maioria dos livros que são lidos pelos espíritas são os romances. Existem romances de qualidade, mas uma grande parte não tem qualidade de enredo, descritiva e muito menos doutrinárias. Entre os leitores há os que lêem muito mal e não retém na memória o que lêem, ou não entendem.

Ensinar como podemos ler melhor e aproveitar a leitura é uma boa iniciativa. Uma prática saudável é a criação de grupos de estudos para as obras básicas e outras dignas de serem denominadas complementares, como as de Leon Denis, Gabriel Delane, Camile Flamarion e vários títulos de Chico Xavier, Herculano Pires, Deolindo Amorim, Carlos Imbassahy e outros. Poderíamos citar os Clubes do Livro, mas eles estão descaracterizado, pois, com algumas exceções, compram o produto mais barato e dão preferência esmagadora aos romances mediúnicos.

O fato de um livro ser mediúnico não é garantia de qualidade. Fazer palestras sobre livros que lemos, é também, uma boa iniciativa de incentivo à leitura.

Situação de desencarnado

15/11/2001 - Qual é a situação de uma pessoa que desencarnou há dois anos?

Prezada M. A situação deste espírito depende do seu estado evolutivo e da sua disposição em aprender e mudar. Se este espírito foi uma pessoa boa, cumpridora dos seus deveres, amorosa, amiga, certamente goza de uma situação boa no plano espiritual.

Se foi maldosa, maledicente, desonesta, certamente o seu estado consciencial não pode ser bom. A desencarnação não muda ninguém, o orgulhoso continua orgulhoso, o preguiçoso continua preguiçoso, o medroso, idem, o maledicente também. Entretanto, eles podem mudar. Podem aprender e adquirir virtudes antagônicas aos seus defeitos. Os bons também continuam evoluindo e melhorando-se cada vez mais.

Além disso, pode-se contar com a possibilidade do espírito já estar reencarnado, pois não existe um tempo determinado para isto, dependendo sempre do interesse maior ou menor de voltar à carne, da necessidade e oportunidade para isto.

O que sabemos, com certeza, é que os nossos atos e desejos aqui na Terra, influem muito nas nossas condições de felicidade ou infelicidade no mundo dos espíritos. Nossas preces podem ajudar o desencarnado, envolvendo-o numa atmosfera de paz e harmonia, encorajando-o a conquistar os valores do espírito.

Quando oramos pelos sofredores, mitigamos a sua infelicidade e o incentivamos ao bem. Quando oramos pelos espíritos felizes, também os incentivamos à novas conquistas espirituais.

Uso de maconha

03/03/2003 - Gostaria de saber, do ponto de vista espírita, o que diz a respeito da maconha; caso tiverem livros, artigos, jornais, revistas, gostaria de uma indicação.

A maconha é uma droga, um tóxico, que altera a percepção e a mente do usuário. Causa dependência e é repelida por todas as pessoas de bom senso, a não ser que defenda interesses escusos, ou seja, uma desculpa para a própria dependência. Além disto, é um degrau para o uso de drogas mais pesadas.

Dizer que a maconha é inofensiva é o mesmo que dizer que o fumo é inofensivo e todos sabem os malefícios do tabaco. Infelizmente alguns artistas, pessoas famosas, defendem as drogas e dão péssimos exemplos para a juventude.

Todo hábito escravizante é condenável. Pessoas dependentes de drogas ou de álcool são pessoas de personalidade fraca. Logicamente Allan Kardec não tratou diretamente deste assunto, entretanto a Doutrina Espírita nos mostra que os vícios, os maus hábitos são condenáveis.

Existem muitos livros que tratam diretamente do assunto ou incidentalmente. Vamos citar alguns: Álcool - Tóxico Livre, do Dr. Cid Parone, Tóxico: Duas Viagens, de Eurípedes Küll, Tráfico Doloroso Resgate, o mesmo autor; O Difícil Caminho das Drogas, de Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho e outros que os balconistas das livrarias saberão indicar-lhe.

Quanto a revistas e jornais espíritas são muitas as abordagens sobre este tema, mas é difícil lembrar quais e em que número. É de bom alvitre lembrar que não se deve colocar a culpa da dependência nos espíritos. Estes, via de regra, são atraídos pelos viciados.

Cremação

30/05/2003 - Quando desencarnamos podemos ficar preso ao corpo durante algum tempo, em alguns casos por muito tempo (me corrija se estiver errado). O que acontece quando o corpo é cremado antes do espírito se desprender do corpo ? Quais as sensações que o espírito pode perceber?

A sua afirmação acima está correta. O espírito pode ficar preso ao corpo durante um tempo relativamente longo. É por isso que Emmanuel aconselhou que haja espera de 72 horas para a cremação. Entretanto, acreditamos que um espírito cujo corpo vai ser cremado, é desligado, talvez de forma violenta, mas não será queimado, mesmo que fique preso.

Ele poderá sim, ter um choque emocional muito forte e passar muito medo, especialmente se em vida acreditava no inferno. Mas pense bem, enterrar o corpo é também algo horrível se o espírito permanecer preso a ele. A putrefação do corpo, os vermes devorando a carne putrefata, é também angustiante para o espírito. Entretanto devemos lembrar que o perispírito está em outra faixa vibratória, e que em circunstâncias normais não deve ser afetado, quer pela decomposição, quer pela cremação.

Sofrem mais os espíritos muito apegados à matéria, os sensuais, os que se agarram aos prazeres da vida. Mas respondendo objetivamente, acreditamos que não são sensações físicas, e sim emocionais, morais.

Espíritos perfeitos

25/03/2003 - Gostaria de saber se existem espíritos que jamais reencarnam, e que foram criados já perfeitos?

Prezado amigo, a resposta é NÃO. Embora não conheçamos todos os mecanismos do universo, nem o modo como Deus cria, com certeza podemos dizer que não existem espíritos criados de forma privilegiada, sem ter que passar por tudo aquilo que passamos.

Aceitar que Deus criou seres perfeitos de forma protecionista, é abdicar da justiça e do amor. Nem anjos, nem santos, nem espíritos de luz, nem cristos foram criados de forma diferente. Nem Jesus de Nazaré, que a igreja diz ser o unigênito de Deus, foi criado de forma diferente.

O Livro dos Espíritos ensina que todos os espíritos, sem exceção, foram criados simples e ignorantes, e enviados à matéria, para através dela, das lutas evolucionistas, ascender aos planos superiores da vida, até alcançar a perfeição.

Quando Allan Kardec colocou as qualidades que julgamos que Deus possui, como perfeita justiça, bondade, tudo sabe, tudo vê, está em toda parte. Os espíritos disseram que existem muitas qualidades que ignoramos, pela nossa pouca evolução. Depois, Kardec comenta, e diz entre outras coisas: Se não podemos saber tudo que Deus é, podemos saber o que ele não pode ser.

Agora falamos nós: Deus não pode ser mal, não pode ser injusto, não pode ser protecionistas de alguns em detrimento de outros. Que fique bem claro que não fomos enviados à matéria porque pecamos, mas sim porque é o caminho natural da evolução.

Espírita e Rosa Cruz

02/07/2003 - Posso ser espírita e Rosa Cruz? Existem conflitos entre estes dois modelos de pensamento?

Você pode, perfeitamente, ser espírita e rosacruz, como maçon ou esoterista, se sentir necessidade disto. Não temos nenhuma crítica a fazer a qualquer filosofia ou religião, por isso, tudo depende da sua necessidade. Se o Espiritismo não preenche totalmente os seus anseios, não responde as suas indagações mais íntimas você pode buscar noutro pensamento filosófico.

Às vezes as pessoas se tornam espíritas mas sente falta dos rituais, liturgias e formalismos, e procuram complementar essas faltas com pensamentos filosóficos elevados, como é a rosacruz e outros.

Você deve seguir sempre o seu coração. Ninguém deve dizer a você para fazer ou deixar de fazer, para acreditar ou deixar de acreditar, pois você tem o livre arbítrio. Muitas pessoas não tem essa necessidade e são somente espíritas, ou somente rosacruz. Outros, embora sendo espíritas, estão ávidos de conhecimentos e adentram essas escolas iniciáticas para aprender os seus mistérios.

Um dia os homens não terão mais rótulos religiosos. Ninguém se dirá católico, protestante, induísta, muçulmano, cristão, espírita, rosacruz, gnóstico ou qualquer outra coisa, porque a única identificação que trará consigo é o amor. Ame o quanto puderes, e seja o que quiseres.

Aborto Social

28/01/2003 - Gostaria de saber quando uma mulher comete o aborto por circunstancia das dificuldades sociais em que vive, qual o meio de reparar esse fato ainda encarnada na terra?

O Espiritismo considera o aborto crime, só aceitando o aborto quando a vida da mãe está em perigo. O aborto social tem os seus defensores, mas nós vemos com certa reserva.

Sabemos que o instinto sexual é muito forte, e sabemos que os pobres tem menor acesso à educação, inclusive dos meios preventivos à gravidez. Contudo, sabemos que Deus julga muito mais a intenção. Não consideramos que o aborto para não aumentar uma boca faminta em casa, seja tão grave quanto ao aborto pelo prazer sexual ou para não deformar o corpo por causa da gestação.

Você pergunta como reparar esse erro ainda encarnado na Terra. Logicamente fazendo o bem, o mais possível. Certamente a pessoa não poderá adotar, porque o problema da pobreza é o mesmo, mas pode trabalhar em algum projeto em favor de crianças, por mais humilde que seja. Ela pode aconselhar amigas que estão planejando abortar, pode orientar adolescentes.

Enfim, há muitas coisas que ela pode fazer para se reabilitar ante a sua própria consciência. Entretanto, caro amigo, consideramos que grande parte da responsabilidade por esse tipo de aborto, é da sociedade, dos governantes, da má distribuição da renda, da indiferença social, inclusive a nossa, que vemos com indiferença o drama da pobreza.

Crises de angústia

07/08/2003 - Desde 1988 venho sentindo sintomas de mal estar, não estando bem em lugar algum. Pensei tratar-se de depressão, procurei um psiquiatra e nunca mais consegui largar, já fiz um ano de terapia transpessoal, tratamento em uma casa espírita, no entanto não consigo me sentir bem, eclodindo em crises de angústia. Está sob controle em vista do medicamento. Gostaria de um aconselhamento, o que há de errado comigo? Estes sintomas se acentuaram após a morte de meu pai, teria algo a ver? Sinto agravamento dos sintomas quando estou em casa, no trabalho o alívio é maior!

Você, caro amigo, tem um diagnóstico de depressão, mas não conseguiu resolver o problema. As vezes é bom ter uma segunda opinião médica. Os casos de depressão podem ter embutidos problemas de ordem espiritual. O fato de você ter feito um tratamento e não deu resultado, não impede que faça outro no mesmo ou em outro centro.

Sintomas de depressão podem se confundir com sintomas de mediunidade. Veja bem que não se trata de castigo por não estar exercendo a mediunidade, mas porque suas energias estão descontroladas e pode atrair espíritos sofredores e desorientados.

Quanto ao caso do seu pai pode ser apenas a reação psicológica pela perda aparente, pois na verdade não perdemos ninguém, eles apenas viajam mais cedo. Contudo, pode ser que seu pai tenha permanecido no seu ambiente, preocupado com você, mas estamos fazendo apenas suposição. De qualquer forma ore por ele com muito carinho, que lhe fará bem em qualquer condição que ele estiver.

Desejos sexuais

10/06/2003 - Uma pessoa que mantém relações sexuais para atender as suas necessidades físicas, sem um compromisso afetivo, pode se comprometer espiritualmente? De que maneira?

É difícil responder perguntas desse gênero, especialmente quando os costumes mudam tão rápida e drasticamente. Houve a época em que sexo só era permitido dentro do casamento, o que não impedia as aventuras extraconjugais ou mesmo o sexo entre namorados ou noivos e as vezes até com o engravidamento.

Solteiros procuravam as prostitutas, mas a mulher não tinha como satisfazer seus impulsos a não ser arriscando-se a engravidar. Com o advento das pílulas anticoncepcionais houve uma revolução nos costumes. Hoje, namorados viajam juntos, dormem juntos e até fazem sexo na casa dela ou dele. Mas vamos ao cerne da sua pergunta: sexo é algo que deve ser feito com amor.

Comprometimento espiritual existe sempre que lesamos afetivamente alguém. Não se deve então fazer sexo sem que haja amor? Respondemos com outra pergunta: quantos conseguem manter a castidade, mesmo entre os que juraram ser castos?

Acreditamos, que sempre que se usa alguém, seja homem ou mulher, como objeto, para satisfação de prazeres sexuais, se criará um vínculo e um comprometimento espiritual. Mas as conseqüências não sabemos lhe dizer. Talvez dependa muito dos objetivos como exploração, domínio, descaso, despudor

Lucidez dos agonizantes

29/10/2001 - Por que alguns pacientes terminais, tem momentos de lucidez antes do desencarne e vêem seus parentes desencarnados?

Prezado L. Nos pacientes terminais, aqueles que estão próximos da morte, devido a fraqueza física pelo desgaste da doença ou por acidente, o espírito fica mais livre do corpo e pode entrar em relação com espíritos desencarnados que vem recebê-lo no limiar do mundo espírita.

É comum os agonizantes falarem de familiares ou amigos que estão esperando. Há casos em que acontece o fenômeno premonitório. O paciente prevê a sua morte para um determinado dia e horário, afirmando que fulano virá buscá-lo neste dia e horário.

A morte, tanto quanto o nascimento, é um momento solene para o espírito e é natural que os nossos amigos libertos do corpo, nos acompanhem no nascimento e venham receber-nos na desencarnação.

Infelizmente não são apenas os amigos que nos esperam no portal deste mundo espírita. Inimigos, desafetos também podem fazê-lo. Quem lida com pacientes terminais já deve ter testemunhado as duas coisas, tanto o afetivo com a presença de familiares e amigos invisíveis, como o torturado pelo medo, por distinguir formas escuras ou repugnantes.

André Luiz descreve em seus livros as duas situações. O quadro belo e confortador de espíritos luminosos esperando a libertação do encarnado, como a de mentes escuras, formas viscosas de espíritos atrasados esperando para a vingança ou para a associação e exploração do desencarnado. Contudo, é bom recordar que todos estão sob a proteção de Deus. Resumindo, podemos dizer que o fenômeno da visão de espíritos no leito de morte, se dá pelo enfraquecimento dos laços que une o espírito ao corpo.

Acreditar em santos

11/06/2003 - Estou estudando sobre o Kardecismo e freqüento a algum tempo, porém tenho várias dúvidas e gostaria de saber se existe algum livro que me esclareça, já li o livro dos espíritos e não tem a resposta que procuro, a pergunta é esta: Devemos acreditar nos Santos? Como o Kardecismo encara isto?

Além dos livros de Allan Kardec, a começar com O Que É O Espiritismo, você tem toda uma bibliografia extensa para ler, como Leon Denis, Gabriel Delane, e contemporâneos nossos, Deolindo Amorim, Herculano Pires, Jorge Andréia, e muitos outros que você descobrirá, incluindo a extensa produção de Francisco Cândido Xavier.

Quanto à sua pergunta, a resposta está implícita, ao dizer que os espíritos tidos como santos, ou que receberam esse título, são espíritos muito adiantados, ou espíritos de luz, quando realmente tiveram méritos para receber esse título. Mas observe bem: nem todas as pessoas que foram canonizadas são realmente espíritos evoluídos. Alguns são muito atrasados e foram canonizados por interesses vários.

Não é a canonização que transforma a pessoa em santo, e sim a sua conduta bondosa, amorosa, caritativa, exemplar. Portanto, se você se refere aos santos canonizados, e alguns deles nem mesmo existiram, pois o Papa João XXIII destituiu vários deles por não poder comprovar sua existência, não devemos acreditar. Além disso, este é um título meramente humano, não tem nenhum valor real.

Há muitas pessoas que nem mesmo foram cristãs e que são muito mais adiantadas moralmente do que muitos dos chamados santos.

Espíritos podem interferir?

10/12/2001 - Quero saber se os espíritos podem interferir na vida de um casal a ponto de fazer com que um nunca veja o outro com bons olhos?

Isto é possível sim, porque somos todos médiuns e sujeitos a sofrer a influência dos espíritos, contudo, afirmar isto é um tanto temerário, pois é preciso pesquisar primeiro, se a antipatia não é do próprio casal. Eles podem estar vivendo uma fase de decepções mútuas, de insatisfações, e fica fácil, cômodo, colocar a responsabilidade nas costas dos espíritos. Os desencarnados podem sim, fazer, por exemplo, que uma pessoa beba muito e se torne um alcoólatra, contudo, é preciso haver uma predisposição da pessoa.

É bem mais comum os espíritos atuarem sobre alguém que encontra prazer nas bebidas alcoólicas. Eles não fabricam o alcoólatra, mas se aproveitam das disposições do encarnado e exarceba o desejo por bebidas. Da mesma forma acontece com os nossos relacionamentos. Ao perceber o ciúme, a insatisfação, a decepção em um ou nos dois cônjuges, eles podem trabalhar em cima disto e exarcebar a sensibilidade.

Seria bom o casal fazer um exame de consciência e verificar se já não estão enjoados um do outro, ou se um, ou os dois, não estão se descuidando do relacionamento afetivo, e até mesmo da educação. Mesmo que haja espíritos perturbadores no lar, certamente eles se aproveitam das disposições íntimas das pessoas. O exame de consciência a que nos referimos deve ser profundo e sincero, pois, há coisas que não confessamos nem a nós mesmo. Caso seja atuação de espíritos, a solução é orar por eles, com muito amor, e não alimentar pensamentos que possam atrai-los.

Por que o livre-arbítrio

17/10/2001 - Por que o livre-arbítrio?

Prezado L. Acreditamos que você queira perguntar por que Deus dotou o espírito de livre-arbítrio e a resposta é muito simples: sem livre-arbítrio seríamos uma máquina ou um animal.

Por exemplo: o automóvel, a prensa, o torno mecânico, o rádio que você está ouvindo ou mesmo a televisão e o computador não tem livre-arbítrio, pois não fazem o que querem e sim o que a pessoa que opera a máquina deseja fazer.

Por outro lado, os animais também não gozam de livre-arbítrio, pois não planejam e não decidem sobre suas ações, mas são impulsionados pelos instintos. Eles progridem por força das coisas. O homem é livre para fazer o bem ou o mal, rir ou chorar, maldizer ou orar, amar ou odiar, trabalhar ou ficar na ociosidade, construir ou destruir, fazer a guerra ou a paz.

O livre-arbítrio é importante para a nossa evolução, pois o homem sempre procura a liberdade. Naturalmente precisamos compreender que a liberdade deve sempre ser acompanhada da responsabilidade. Se o livre-arbítrio pode nos induzir ao erro, quando não temos maturidade, é indispensável para o crescimento do espírito.

Dor de cabeça persistente

15/10/2003 - Gostaria de saber se a dor de cabeça persistente junto com a mudança de humor representa um dos sintomas de OBSESSÃO, como cuidar, além de passes leituras e água fluidificada e como conviver e ajudar uma pessoa com esses sintomas.

Em primeiro lugar é preciso procurar tratamento médico e investigar as possíveis causas das dores de cabeça. É natural que uma pessoas que tenha constantes dores de cabeça tenha alteração humor.

Se não existem evidências clínicas para as dores, é conveniente procurar socorro num centro espírita kardecista bem organizado e capacitado para esse trabalho. O passe, a água fluidificada, as leituras ajudam bastante, mas o caso, e não a pessoa, devem ser levado a sessão de desobsessão. Além disto é preciso mudança de comportamento.

Os espíritos obsessores se aproveitam das nossas falhas morais para fazerem o cerco. SE for constada a influenciação espiritual, a pessoa deve orar sinceramente pelos obsessores, e ao mesmo tempo fechar as portas que lhes dão acesso. Como já disse nossos defeitos são portas abertas para as influenciações.

Orgulho, vaidade, maledicências, traições, revolta, inconformação, desonestidade e muitas outras coisas precisam ser combatidas com determinação. O trabalho em favor do próximo, como ser voluntário numa Instituição assistencial, seja para enfermos, idosos ou crianças, atrai a proteção dos bons espíritos, e conseqüentemente afasta os obsessores.

Saudade imensa de alguém

09/09/2003 - Tenho uma saudade imensa de alguém, de algum lugar que não sei explicar, apesar de ser casada, tenho 1 casal de filhos de 11 e 8 anos, tenho 34 anos, mas a vontade de voltar ao lar espiritual é muito grande, nada pra mim aqui faz muito sentido, a cada dia vou perdendo mais e mais a vontade de um novo dia, mesmo sabendo da responsabilidade que devo te assumido com meus filhos, sinto tanta saudade dessa pessoa, desse lugar....o que devo fazer...por favor me ajudem.

Prezada amiga, você mesma já respondeu a sua pergunta, pois sabe das suas obrigações para com a vida e para com os filhos que vieram ao mundo por seu intermédio.

Reencarnamos para progredir, evoluir, crescer e ao mesmo tempo acertar nossas contas de vidas passadas. O que podemos dizer a você é que ore pedindo forças. Forçar uma volta ao plano espiritual para conviver com quem você ama, pode ser completamente enganoso.

É possível que esta saudade seja de uma outra encarnação, de uma outra vida que você não teria como resgatar. Pode ser que a separação seja terapêutica, isto é, para uma melhor avaliação dos caminhos da vida. A sua atitude mental, o seu desejo ingente de voltar a uma situação do passado, pode levá-la a uma desencarnação prematura, e isto de certa forma é suicídio, o que a afastará mais ainda do ser amado.

Existem casos de mães que se suicidaram para acompanhar filhos que morreram. Amantes que se suicidaram para ficarem juntos, e foram separados durante muito tempo. Dedique-se aos filhos, mas não egoisticamente, pois existem outras crianças no mundo que precisam de amor.

Vença a tristeza, e acredite que os que se amam acabam por se encontrarem, mas não quando querem, e sim quando há méritos para isso.

Sentimento de culpa

10/09/2003 - Li toda a obra de Kardec, a apostila do Curso de Introdução ao Espiritismo e várias obras psicografadas, ouço a Rádio Boa Nova e freqüento semanalmente um Centro Espírita. Já me considero um espírita, embora "imperfeito", mesmo me comportando bem em relação à ética e à moral. Mas gosto de fazer o que a maioria das pessoas fazem (viagens, praia, pequenos excessos...). E me sinto culpado por isso. Esse sentimento de culpa procede?

Não, esse sentimento de culpa não procede.

Estamos num mundo que tem as suas exigências e as vezes temos até que fazer pequenos sacrifício para cumprir nossa obrigações sociais. Ler, passear, ir ao cinema, viajar, passar alguns dias na praia ou no campo, são coisas naturais da vida. Talvez você possa pensar que o dinheiro que você gasta nesses passatempos poderia ser dado a um pobre ou a uma instituição de caridade.

Poderia sim, mas além de não resolver esses problemas o deixaria com a vivência de um frade trapista. Viva com naturalidade. Não cometa grandes abusos, mas não tente viver isolado do mundo.

Lembre-se das palavras de Paulo de Tarso: Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém. Se você compreender bem a Doutrina Espírita, verá que ela é uma doutrina alegre, sadia. Seja alegre, ame a vida, as pessoas. Divirta-se com equilíbrio, sem abusos. Seja honesto, pacífico e tire os grilos da cabeça. Não é a tristeza, a reclusão, a cabeça baixa, o medo, que o santificarão.

Para tranqüilizá-lo lembre-se que ao viajar, ir para a praia, ao cinema, alugar fitas, comprar discos CDs, roupas bonitas, você estará ajudando a manter o emprego de várias pessoas. Mas lembre-se de ser honesto em todas as circunstância da sua vida.

Sonhar com um lugar

27/03/2003 - Sonhava com uma casa, onde parecia que morou há tempos atrás, eu com roupas de antigamente, deslizava os dedos sobre um corrimão localizado na entrada da casa. Até aí tudo bem 
Acontece que há alguns anos me deparei com a dita cuja que se localiza na beira de uma estrada que dá acesso à capital do meu estado. É incrível a semelhança, até me emocionei; tenho medo de adentrá-la e a mesma realmente ser do jeito que visualizo em meus sonhos. Poderia eu ter vivido lá? Como resgatar mais lembranças?

É bem possível sim, que você tenha vivido nessa casa numa outra vida, ou reencarnação. Pode ser que a saudade espiritual daquela época seja muito grande. Talvez tenha sido uma época feliz, ou em que algum problema ficou pendente.

Quando dormimos desdobramo-nos do corpo físico, o que Allan Kardec chama de emancipação da alma, (não se esqueça que a alma é o espírito encarnado), e pode se afastar para muito longe, se o desejar, e entrar em relação com outros espíritos encarnados ou desencarnados, muitos dos quais ele não conhece nesta existência. Neste estado de emancipação o espírito pode ir ao futuro, embora muito mais raramente, ou pode voltar ao passado, porque alguma coisa ficou pendente, ou por saudade intensa, ou para encontrar solução para algum problema.

Para solucionar o impasse em que você se encontra, há alguns meios. Um deles é visitar a casa e ver se as recordações são mais fortes. Outra é pedir ao seu protetor espiritual para durante o sono lhe conduzir mais profundamente às recordações. Outro meio, que não aconselhamos a não ser que isto esteja lhe causando problemas, é a regressão à vivências passadas, através de psicólogos que conheçam bem o assunto e sejam moralmente íntegros.

Ser mãe ou adotar

27/05/2003 - Tenho um cisto em cada ovário e um pequeno mioma. Estou fazendo tratamento para amenizar os sintomas, após este tratamento penso em engravidar, pois a vontade de ser mãe é muito grande, mas ao mesmo tempo tenho muito medo e insegurança. sonho muito com criança e um desses sonhos que tive sonhei que eu abortava e quando acordei fiquei muito triste e culpada, pois parecia que este aborto não era espontâneo e sim provocado. Gostaria de saber se poderei ser mãe e se estes problemas que tenho nesta vida podem ser de uma encarnação anterior.

Não temos condições de dizer se você pode ou não ser mãe. Quem poderá responder é a ciência médica. Contudo, o seu desejo de ser mãe já é meio caminho andado.

Quanto aos seus problemas podem ser de uma vida anterior, especialmente porque nos auto-punimos. Se você abortou uma ou mais vezes em vidas passadas, ao se conscientizar do erro, se auto-puniu. Deus não castiga seus filhos, mas nos dá o livre arbítrio para escolher os nossos caminhos.

O remorso pode ter levado você a desenvolver os cistos e o mioma, mas pode ser, também, defeitos da matéria que se casou com os seus remorsos inconscientes. O sonho pode ser real, verdadeiro. Emancipada do corpo você voltou ao passado e o sei inconsciente fez você reviver o drama para castigá-la. Contudo pode ser também uma dramatização do seu inconsciente. Entretanto, cara amiga, se você não puder ter filhos, adote. A gravidez não será no útero, e sim no coração.

Lembre-se, você não nasceu para sofrer, mas sim para crescer, evoluir, se aperfeiçoar. Você é luz das estrelas. Pense nisso.

Desdobramento astral

23/05/2003 - Desejo por favor informação referente a desdobramento astral, ver cores, partes do corpo que ficam imóvel após o retorno do sono.

O desdobramento é uma faculdade natural do ser humano. Contudo, fazer isto conscientemente é bem mais difícil.

Quando dormimos ou cochilamos, ou mesmo quando temos um pequeno torpor físico, desdobramos do corpo. Isto quer dizer que saímos do corpo. Deixamos nosso corpo físico repousando e saímos com o corpo espiritual, ou perispírito.

Algumas pessoas tem consciência deste desdobramento e vê o seu corpo físico detalhadamente, distingue cores, ambientes, sons e várias outras coisas. Alguns reclamam da imobilidade que ficam após retornar ao corpo, mas não são todos.

O retorno ao corpo pode acontecer abruptamente, o que causa choques, ou suavemente, dando satisfação à pessoa. Isso não é mediunidade, é capacidade anímica, isto é, da própria alma encarnada. Mas, desdobrado do corpo físico a alma pode entrar em contato com outros espíritos e mediar mensagens, recados e etc.

Desenvolvimento mediúnico

08/09/2003 0 Um médium que iniciou seu desenvolvimento através da psicografia deverá exercitar sempre? Com que freqüência? O que deverá fazer: perguntas ou aguardar que venha em sua mente as intuições e só então escrever?

As sessões de desenvolvimento mediúnico devem ser realizadas no centro espírita e sob a supervisão de pessoa capacitada, que entenda realmente do assunto. A psicografia clássica é a mecânica, em que o médium pode estar conversando ou lendo uma revista e ao mesmo tempo psicografando. Neste caso, se os exercícios forem improdutivos, saírem apenas rabiscos sem significados, após alguns meses de exercícios, não haverá razões para continuar.

No caso da psicografia semi-mecânica ou intuitiva, vai depender do bom senso do médium e dos dirigentes. Quanto aos exercícios podem ser semanais ou duas vezes por semana. O perigo é a fascinação. Conhecemos médiuns que por qualquer motivo querem psicografar. Conhecemos pessoas que acordam a noite e já tem papel e lápis para escrever. Já vimos mulheres que estando cozinhando começam a psicografar e acabaram queimando a comida.

Allan Kardec conta, na Revista Espírita o caso de um homem que sua única preocupação era psicografar e o desejo era tão intenso que na falta de lápis ele fingia escrever com o dedo.

Esperar uma manifestação espontânea ou fazer perguntas é indiferente. O importante é que o texto supostamente psicografado, tenha coerência. Coloque datas em todas as psicografias para comparar a evolução.

Peça para pessoas competentes analisá-las. Aquelas que são realizadas para treinamento, é treinamento.

Quando Chico Xavier começou a sua tarefa de psicógrafo sob a supervisão de Emmanuel, este mandou o Chico queimar um baú de mensagens que foram realizadas para treinamento.

Deus ouve nossas preces

31/10/2001 - Nas preces, tenho a impressão que Deus não a ouve. Por que? Seria falta de fé?

Prezada I. Se você está esperando uma manifestação ostensiva, como uma voz que respondesse às suas preces ou objetos que se movimentem, isto, realmente, não vai acontecer, porque, caso aconteça, não é uma ação de Deus e sim, de espíritos, que pretendem ajudá-la.

Deus ouve sim as nossas preces sinceras, humildes e nos responde através dos acontecimentos da vida, embora, não do modo que pretendemos, nem no espaço de tempo que queremos.

Às vezes, desesperados, queremos uma solução imediata para o problema que nos aflige e aparentemente não recebemos nenhuma resposta. Entretanto, a resposta pode estar no próprio problema.

Veja este exemplo: pedimos a Deus a cura de uma enfermidade grave e nada acontece; pode ser que a doença seja a verdadeira cura, não para um corpo que poderá viver mais alguns anos, mas para o espírito imortal que viverá para sempre. Todas as vezes que algo grave, como enfermidades, nos atingir, ou crises financeiras, pode ter a certeza que a enfermidade ou o problema está tentando nos ensinar alguma coisa. Precisamos ficar atentos para aprender.

Outra coisa importante de ser lembrada, é que estamos condicionados a orar para pedir e nos esquecemos de orar para agradecer ou para louvar. Não que Deus precise das nossas louvações, porém, será bom para nós mesmos, o reconhecimento de um ser superior que nos ama e protege.

Outra observação é a de transformar as preces em ação, trabalho, realização em favor da vida e do próximo. Uma última observação: quando você for orar, recolha-se em seu quarto, isto, em seu coração. Faça silêncio e vai ouvir o murmúrio de Deus através da própria natureza que te cerca.

Maltratos em família

01/05/2003 - Recebemos um e-mail que relata que o marido é egoísta, insensível e não permite que ela tenha amizade com ninguém, nem mesmo com os familiares. Ela diz que tem 18 anos de casamento e dois filhos, mas não suporta mais e está pensando em se separar dele. Ela sente que tem uma missão a cumprir mas não sabe claramente o que é essa missão. Ela faz tratamento para depressão e tem tentado mostrar ao marido o amor e o perdão, mas ele não entende ou não quer entender.

Tivemos que sintetizar o seu e-mail porque era muito longo, mas colocamos o essencial. Mas, prezada amiga, é muito difícil mudar as pessoas. Há casos que somente a dor e o tempo conseguem mudar. Entretanto, será que seu marido era diferente na época do namoro e noivado?

Será que você não percebeu essas nuanças ruins do caráter dele mas pensou que poderia mudá-lo? Logicamente não estamos querendo aumentar o seu sofrimento, mas apenas demonstrar que não raro somos os construtores da nossa infelicidade.

Parece-nos que o principal do seu e-mail é saber a nossa opinião sobre a sua vontade de se separar dele. Pensamos que você tem todo o direito. Ninguém pode agüentar por muito tempo ser maltratada, espezinhada, e parece-nos que 18 anos é muito tempo.

Você só precisa estar certa de que o pensamento íntimo de uma missão a cumprir não seja a de transformá-lo, porque neste caso você terá que tirar isto da sua cabeça ou vai sentir-se fracassada. Somos de opinião que você, decidindo-se a permanecer com ele, exponha as suas condições, de ser tratada com dignidade, ter o direito de fazer amizades e especialmente relacionar-se com a sua família.

O fato dele ser evangélico, como você citou, não muda muito as coisas, pois nenhuma religião dá direito ao marido de escravizar a esposa. Não podemos lhe dizer faça isso ou faça aquilo, porque a decisão precisa ser sua, mas acreditamos que lhe demos muito material para reflexão.

Modificar a vida para melhor

14/10/2003 - Se um dia tenho chance de modificar a minha vida para melhor? Pois, tenho varias duvidas, e poucas esperanças.

Sem dúvida nenhuma você pode modificar a sua vida, pois você é a construtora do seu destino.

Para que isto aconteça você precisa de decisão, determinação. Quando achamos que não vamos vencer já estamos derrotados. Tenha a certeza que Deus te ama muito e te criou da luz das estrelas, para a vitória e a felicidade. As vitória virão com o desenvolvimento das suas potencialidades, e você tem todas as potencialidades das perfeições, e terá que atualizá-las.

Quanto a felicidade você terá que aprender a construí-la e partilhá-la com o próximo. Ame muito a vida que Deus lhe concedeu. Construa pontes do seu coração para o coração seu próximo e derrube todas as barreiras que possa separá-la das pessoas. Aprenda a não guardar mágoas e rancores no coração.

As mágoas você deve escrever na areia, para que o vento e os passantes desmanchem as letras e a mágoa desapareça do seu coração. As dores, os problemas, as aflições são degraus de luz que procuram te elevar a um patamar mais alto da vida. As dúvidas são naturais, porque delas vem as respostas, mas não perca as esperanças.

Batizados e sacramentos

06/08/2003 - Eu estou conhecendo a doutrina espírita agora, estou gostando muito , mas tenho muitas duvidas, eu gostaria de saber porque no centro espírita não se realizam batizados e outros sacramentos? O meu namorado é adventista e na religião dele não se promovem casamentos se a parceira não for adventista também, eu gostaria que o meu casamento fosse abençoado dentro da doutrina espírita...Isso pode acontecer?....

O Espiritismo não é uma religião formal, institucionalizada, e sim religião natural, por isso não tem sacerdotes, nem sacramentos, conseqüentemente os centros espíritas não podem realizar sacramentos como batizado, crisma, casamento, extrema-unção e outros equivalentes.

No dizer do Espírito Emmanuel, o Espiritismo é um processo libertador de consciências, para que a visão do homem alcance horizontes mais altos. Allan Kardec afirma que o Espiritismo alarga os horizontes da humanidade. Mediante essas afirmações, o Espiritismo não pode ser religião institucionalizada.

Você diz que gostaria que o seu casamento fosse abençoado pelo Espiritismo, porém você já viu que não existe o sacramento do casamento na Doutrina Espírita, mas você pode pedir a algum espírita que você conheça, fazer uma prece na sua casa ou no local da recepção. Contudo, isto deve ficar bem claro que não é um sacramento espírita.

Perguntamos se sendo o seu noivo Adventista, será que ele concordará com um espírita fazendo prece em seu casamento?

Como você disse, a Igreja Adventista só fará o casamento se você se converter. Qual será a idéia do seu noivo sobre isto?

Esclarecendo de modo concreto: não temos o sacramento do casamento no Espiritismo. O espírita respeita as leis civis, o casamento no cartório e mais do que isso, o casamento pelo amor, pelo coração.

Ambiente espiritual

21/02/2003 - Gostaria de saber um pouco mais sobre "ambiente do meio". Como reagir quando o ambiente do trabalho não vai bem? É correto se "proteger" de vibrações ruins e não interferir em nada mesmo que o que esteja acontecendo possa de alguma maneira atingir diretamente nossa vida de maneira negativa? O que fazer?

O ambiente bom ou ruim são as pessoas que fazem. É impossível não entrarmos em contato com ambientes ruins, pois onde existem disputas, inveja, maledicência, domínio de uns sobre outros, forma-se energias negativas.

Como fazer para não ser prejudicado? Ora, vibrando de forma superior, nos colocar acima das querelas, das disputas, das agressividades. Não há como interferir nessas energias a não ser vibrando de forma superior.

Só podemos responder genericamente porque não sabemos o que está se passando em seu ambiente de trabalho. Se houver inveja, maledicência, coloque-se acima disto. Entretanto, se alguém estiver agindo de forma desonesta, prejudicando companheiros, é preciso esclarecer.

Converse com a pessoa. Se ela recusar a atender os apelos do bom senso, é necessário avisar a quem está sendo visado, ou aos superiores hierárquicos. Mas tudo isto precisa ser avaliado com muito discernimento, para que o nosso preconceito não influa na decisão. Contudo, em suma, se o ambiente está ruim, eleve os seus sentimentos. Ore antes de entrar no ambiente de trabalho. Mantenha seus pensamentos elevados, amorosamente elevados.

Animais tem alma?

19/02/2002 - O que o Espiritismo fala sobre os animais; eles tem alma? Progridem? ou serão sempre animais? Porque eles sofrem? Eles tem Carma? Porque existem animais mais inteligentes?

Esta é uma pergunta difícil de ser detalhada, mas sem dúvida o espiritismo tem uma resposta. Os animais não tem alma como nós os humanos, mas tem um princípio espiritual que sobrevive à morte do corpo. Segundo os espíritos disseram a Kardec, quando o animal morre, espíritos especializados recolhem esse princípio espiritual, que entra em letargia e é encaminhado para uma nova encarnação quase imediatamente.

Este princípio inteligente, que ainda não é um espíritos, passará milênios incontáveis nesta condição, até chegar ao reino hominal, mas em mundos primitivos, onde o homem pouco se diferencia de um animal. Continua progredindo lentamente até adquirir consciência de si mesmo e desenvolver o livre arbítrio. Os homens progridem por sua vontade, mas os animais pela força das coisas ou do ambiente. Se eles permanecessem sempre animais seria uma injustiça, pois eles sofrem, são abatidos para a alimentação do homem, usados como cobaias e desenvolvem doenças como o câncer, por exemplo.

Mas eles não tem Carma, pois não tem livre arbítrio. Mas compreenda, caro amigo, que Carma é uma palavra das doutrinas indianas e não existe no espiritismo (preferimos ação e Reação ou causa e efeito). Os animais não são responsáveis pelos seus atos. Alguns são mais inteligentes pelos cuidados recebidos, ou talvez, porque progrediram um pouco mais do que os seus irmãos da mesma espécie. Respeitar e proteger os animais é um dever cristão.

Enxaqueca

22/05/2003 - Conheço o espiritismo há mais de 10 anos, já fiz alguns tratamentos espíritas, mas nada até hoje me tirou a pergunta, porque tenho enxaqueca. 
Fui no ortopedista pois estava com muitas dores na costas, fiz vários raios x e acabei descobrindo que tenho uma das vértebras muito grande, como disse o medico, nasci com defeito de fabricação. Se eu fosse uma pessoa que tivesse trabalhado na roça, hoje estaria muito pior. Bom agora é cuidar, mas gostaria de saber o que poderia ser essa dor falando espiritualmente sobre o assunto.

É difícil opinar com poucos dados. Como você disse, há um diagnóstico de vértebra demasiado grande que causa dores. Contudo, não está esclarecido se existe relação desta vértebra com a enxaqueca. Talvez, ao nos questionar você tem a intenção de descobrir se a enxaqueca é provocada por espíritos. Esta é uma possibilidade, não uma certeza.

Você diz que conhece o Espiritismo há 10 anos e que já fez alguns tratamentos espíritas. No entanto acreditamos que você não tenha feito o principal tratamento que o Espiritismo oferece, o conhecimento. Estude o Espiritismo, matricule-se num curso de Doutrina Espírita e o conhecimento que ela vai te dar, da vida, da reencarnação, da mediunidade, do livre-arbítrio, da lei de causa e efeito, dos mundos habitáveis, da reencarnação, da justiça de Deus, é muito superior a qualquer cura, porque é o caminho da cura definitiva, a cura do espírito imortal. Não vá ao Centro Espírita apenas para curar o corpo. Ilumine a alma com o conhecimento.

Filho usuário de drogas

18/03/2003 - Na visão da Doutrina espírita qual é a resposta ou como proceder com meu filho usuário de drogas. Eu me pergunto, porque o meu filho, porque comigo. As vezes ele me parece ter aversão por mim, e muitas vezes fico pensando, será que é somente os efeitos da droga? será que não tem nada haver com a parte espiritual?

Prezada amiga. Sentimos a dramaticidade da sua pergunta e como você está sofrendo, por isso você tem a nossa solidariedade. A visão da Doutrina Espírita é especialmente os desajustes humanos.

Nossa juventude vive assediada pelos traficantes de drogas e pelos amigos já envolvidos com a dependência. Você pergunta como proceder com seu filho, e a resposta é: com muito amor, paciência, tolerância, mas firmeza. Não adianta ficar brigando, xingando, fazendo ameaças que nunca serão cumpridas, como expulsar de casa, entregá-lo à polícia.

Na questão da aversão certamente é porque você tenta restringi-lo, impedi-lo de se drogar, o que aliás você deve continuar fazendo. Se necessário obrigue-o a um tratamento. Com certeza há influenciações de espíritos inferiores que foram dependentes na Terra, e que ainda são dependentes no espaço, mas com certeza foram atraídos pelo procedimento do seu filho. Eles podem levar pessoas de caráter fraco ao vício, mas é mais comum se juntarem aos já viciados. Entretanto, te aconselhamos a procurar os Narcóticos Anônimos, que a exemplo dos Alcoólicos Anônimos, tem reuniões para familiares e dependentes, que dividem o peso do sofrimento, e ensinam como lidar com o dependente. Pode haver alguma coisa do passado influindo na aversão, mas acreditamos que é muito mais relacionado com o agora.

Transição do mundo

13/11/2001 - M. quer saber se a transição pela qual o mundo passa, será brusca, como querem muitas doutrinas, ou lenta?

Prezada M. Brusca ou lenta, a verdade é que o mundo mudará. A atual situação de violência, maldade, injustiça, opressão dos poderosos sobre os fracos, tanto a nível de pessoas, como instituições e países, certamente terá que ceder lugar a uma nova era de paz, harmonia, fraternidade e solidariedade.

Entretanto, guardamos a certeza que não haverá um fim do mundo. Ele não será destruído nem pela ira divina, nem pela insensatez humana. O nosso mundo é uma escola para alunos ainda atrasados e rebeldes, mas assim como nenhum pai sensato destrói a escola de seus filhos, Deus, como pai misericordioso e bom, jamais destruiria um planeta onde seus filhos estão em laborioso aprendizado.

A divindade tem muitos meios de nos impulsionar para o progresso, através das leis naturais. Certamente a situação atual é mais preocupante devido a possibilidade de uma guerra de grandes proporções. Contudo, não podemos perder a confiança em Deus. De tempos em tempos, a Divindade remaneja as populações de vários mundos.

Os espíritos moralmente muito atrasados, que habitam a Terra, serão remanejados para mundos mais primitivos, onde terão a oportunidade de reiniciar sua trajetória evolutiva, ao mesmo tempo que auxiliam o desenvolvimento dos espíritos nativos daquele mundo.

Previsões catastróficas fazem parte de pensamentos apocalípticos, fartamente presentes na Bíblia, culminando os escritos de João, o Evangelista. Vamos acreditar no amor de Deus, que nos criou para a felicidade.

Volta dos espíritos inferiores

29/04/2003 - Me foi dito que os espíritos que destruírem a Terra voltarão a mundos primitivos para recomeçarem toda a sua escala evolutiva, mas sabemos que nenhum de nós caminha para trás. Certamente que quando a terra evoluir na escala dos mundos os que não acompanharem esta evolução passarão a viver num mundo com o mesmo padrão vibratório que a terra possuía até então. Gostaria de maiores esclarecimentos sobre este parecer.

Concordamos com você, o espírito não retrograda, contudo, o que, cremos, foi dito não é retrogradação, porque o espírito não perde as suas conquistas.

Consulte o livro, A Caminho da Luz, de Emmanuel, e você conhecerá a história dos capelinos, (constelação de Capela), exilados de seu mundo evoluído por estarem perturbando a evolução do planeta, vieram para a Terra, em sua época primitiva, para ajudar no desenvolvimento da nossa civilização. Os mundos são solidários, e o que não se consegue fazer num deles, será feito em outro. Logicamente o espírito reencarnado em um corpo primitivo terá o cérebro pequeno, incapaz de ter toda a potencialidade do outro. Será como um pianista que tenha que executar uma peça num piano com suas cordas quebradas e faltando teclas.

Além disso, existe a lei que determina o esquecimento do passado, o que lhes dificulta mais ainda a ação inteligente. Embora num corpo primitivo, sua capacidade de fazer e de pensar será melhor do que dos espíritos nativos do planeta.

A partir daí deixaram marcas como os desenhos nas cavernas, a invenção da roda, o fazer fogo, as palafitas, as armas para caçar, a cerâmica e muitas outras coisas. Contudo, não fechamos a questão e nem queremos dizer que você tenha que aceitar o nosso ponto de vista.

Reencarnação e genética

13/03/2003 - Por favor, tenho uma dúvida entre genética e reencarnação. como se dá a reencarnação a nível de genes?

A reencarnação obedece as leis naturais, no caso, as leis da genética, porque o que vai ser gerado é o corpo, pois o espírito, ser imortal preexistente e sobrevivente, já existe. Contudo, você pode estar em dúvida sobre como o que determina a herança genética para o espírito. Por que ele herda determinadas deficiências orgânicas.

Certamente, além daquilo que a genética predispõe, os espíritos que cuidam dos casos de reencarnação, segundo André Luís no episódio, Reencarnação de Segismundo, podem escolher e vitalizar o espermatozóide e este chegará na frente dos demais, que tenha o mapa genético de acordo com as necessidades evolutivas do reencarnante.

Acreditamos que essas reencarnações tuteladas são para espíritos que tenham méritos ou necessidades especiais. A escolha dos pais já é uma pré seleção, pois eles determinarão a herança genética do espírito reencarnante. Vamos indicar a você três livros que podem ajudá-lo nessa pesquisa: Correlações Espírito e Matéria - do Dr. Jorge Andréa - Genética e Espiritismo - de Eurípides Khull - Gestação Sublime Intercâmbio - do Dr. Ricardo Di Bernardi.

Ver os pais falecidos

23/01/2002 - Pessoa nos conta que os seus pais faleceram e ela sonha muito com eles mas não os vê e ela queria muito vê-los. A pessoa pergunta: será que é por que eu tenho muitos pecados, por isso não tenho privilégio de vê-los? Eu adorava os dois. Será que eles olham por mim e pela minha família? Eu tenho a certeza que eles estão bem porque eram pessoas ótimas.

Prezada ou prezado amigo. Vamos começar pelo final da sua carta. Com certeza eles olham por você e a sua família, pois, sua carta deixa transparecer que havia um grande amor entre vocês. Os seres que nos amam, continuam ligados a nós, após a desencarnação, ou morte, pelos laços invisíveis do amor.

Geralmente acompanham a nossa jornada, mas não podem modificar os acontecimentos, sobretudo, evitar que passemos por determinadas coisas que, embora desagradáveis, contribuirão para o nosso progresso. Eles não podem intervir nas suas provas e expiações, mas podem insuflar forças, ânimo, coragem nos momentos decisivos. Certamente vocês compõem aquilo que Kardec classificou como família pelos laços espirituais. Vocês estão juntos há muito tempo e continuarão reencarnando no mesmo grupo familiar.

Quanto a sua primeira pergunta, pode ter a certeza que pecado não tem nada a ver com isso. Você não os vê por outros motivos. Acreditamos que você os vê sim, em sonho, mas não guarda lembrança do acontecimento. Talvez você esteja muito ansiosa ou ansioso para que isso aconteça e atrapalha. Quando você for dormir, ore com muita confiança e deixe que seus protetores espirituais decidam se é conveniente ou não, que você veja seus pais em sonho e guarde a lembrança do fato.

Ligações de família

14/12/2001 - Todas as pessoas que desencarnam permanecem ligados ao planeta, ao ambiente e ao círculo familiar?

Prezada H. Sua pergunta é simples quando a examinamos sem muita profundidade, mas, torna-se complexa, ao examinar detalhes. A primeira indagação, se o espírito desencarna e continua ligado ao planeta, podemos afirmar que SIM!

Sem dúvida nenhuma continuamos ligados ao planeta Terra, pois é aqui que moram os nossos amores, nossos desafetos e é aqui que temos compromissos para com o meio ambiente. Certamente há exceções, pois um espírito, por necessidades desconhecidas para nós, pode tomar um corpo aqui na Terra, e depois da desencarnação retornar ao seu mundo de origem. A segunda indagação, se continua ligado ao ambiente, a resposta é também afirmativa.

Normalmente continuamos ligados ao ambiente em que vivemos, mas o espírito pode não ter interesse de ali permanecer, e optar para viver em outro local. Considerando as informações mediúnicas da existência de colônias espirituais, verdadeiras cidades, ou postos de socorro, no espaço, os que vivem ali estão longe do ambiente em que viveram, mas continuam ligados a ele emocionalmente.

Quanto ao círculo familiar, com certeza continuamos ligados ao grupo, que é muito maior do que o número de membros encarnados, mas aqueles que não se afinam, não tem amor à família, afastam-se do grupo, em busca de outros interesses. Os que estão ligados pelo amor, continuam se interessando e protegendo os familiares na medida das suas possibilidades.

Espancamento de filhos

05/11/2002 - Por que pais que parecem amar os seus filhos, espanca-os até ao ponto de aleijá-los ou mesmo matá-los? Será que são inimigos de vidas passadas?

Prezada J. Cremos que a mesma perplexidade que a toma de súbito, também acontece conosco e com todas as pessoas de bom senso. Existem vários motivos para que isto aconteça. Dentre elas destaca-se desequilíbrios psíquicos.

Há pessoas que são verdadeiros psicopatas. Existe aqueles que levam uma vida de humilhações nas ruas ou no emprego, por isso tentam se impor em casa para descontar um pouco das suas frustrações.

Um outro motivo, que acontece com algumas pessoas, é o fato de terem sido espancadas quando crianças, acabam se transformando em espancadores. Pode acontecer de em alguns casos a inimizade do passado seja tão forte que altere o relacionamento do presente. Mas ouça bem, estamos dizendo que isto é raro.

Existem dois principais motivos para as inimizades do passado não predomina no presente: 1º o instinto maternal e o paternal que é muito forte. Em 2º lugar o esquecimento do passado.

Todos nós, ao reencarnarmos, passamos por essa lei que determina o esquecimento, para que a reencarnação se dê de forma tranqüila.

O fato de reencarnarmos juntos demonstra a nossa necessidade de progredirmos juntos. Com certeza na maioria dos casos de espancamento, o espancador, seja o pai, mãe, tio, irmão, é, com certeza, uma pessoa doente, quase sempre covarde, pois é comum o espaçamento de crianças pequenas e até de berço, incapazes de se defender.

Pais espancadores, seja qual for a razão, devem submeter-se a tratamento psicológico e também desobsessivo. Quanto ao amor que os espancadores dizem ter, precisa ser revisto. O amor não agride, não machuca, não mata.

Inspirações

30/10/2002 - Eu as vezes falo e faço coisas sem saber o porquê, coisas que nunca teria como saber. Vocês acham que isso é algum tipo ajuda de um espirito? Sinto que alguma coisa vai acontecer com alguém e fico angustiada. Minha família toda é espirita e eu nunca fui ligada a religião mas sempre fui digamos "ajudada por esse tal espirito". Quero saber se é ou não um espírito. Respeito mais não sigo nenhum religião.

Prezada A. Pelo que você relata parece-nos que você tem mediunidade, que não está sendo bem direcionada e aproveitada. Você diz que fala e faz coisas que você não conhece. Isto pode ser conhecimentos de outras vidas, que por algum motivo aparece no seu consciente.

A intuição de que alguma coisa vai acontecer a alguém, o que podemos chamar de premonição, é preciso exercer um controle sobre o fenômeno. Não basta ter a premonição, é preciso ver se as previsões acontecem ou não. Você fala ainda num "tal espírito".

Espíritos são as almas dos homens que viveram na Terra. Quando morrermos seremos espíritos. Todos eles podem se comunicar através da mediunidade, mas é preciso verificar a qualidade dessas comunicações. O que você nos relata parece ser preocupação permanente em você. Sua família inteira é espírita, conforme seu próprio relato.

Como optar pelo espiritismo ou qualquer outra filosofia ou religião sem conhecer? É impossível. Por isso te aconselhamos a estudar Espiritismo. Freqüente um bom centro espirita, faça um curso de Espiritismo e mediunidade e ai então você pode optar a ser ou não espírita. Sua opção é livre, inteiramente livre, mas procure saber o que é Espiritismo, para que serve e como utilizá-lo.