União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

Nossos defeitos podem estar emergindo de um passado distante - De outras existencias

Quem somos? Somos seres imortais, como compreendeu Kardec em seus estudos iniciais. Ainda imperfeitos e trazendo as experiencias do passado, nem sempre boas. Vamos de reencarnação em reencarnação, passando por experiências e aprendizados e, nessa caminhada, acumulando em nossas bagagens coisas boas e ruins. Para alcançarmos a perfectibilidade que Deus nos preparou, temos que corrigir as índoles negativas e agregar valores positivos. É assim que o Espírito evolui. Ainda nos seus estudos concluiu também que estamos aqui para corrigirmos o passado e aperfeiçoarmos o presente que será o nosso futuro.

O Espírito para evoluir tem que ir acertando, renovando, reconstruindo, corrigindo e fazendo sua melhora íntima, como ensina a questão 919 do LE. E essa oportunidade Deus nos concede através das reencarnações. Tudo o que vivemos vai ficando em arquivos, nem sempre lembrados em cada reencarnação, isso para dar oportunidade da chegada de novos conhecimentos. Muita coisa fica guardada no inconsciente. As novas informações vão nos ajudando a corrigir o rumo da evolução e são para acertarmos o que nossa consciencia vai nos cobrando sempre. Sim, porque nossa consciencia nos cobra o acerto de tudo o que ficou falho para que nossa melhora se efetive. Assim, a reencarnação nos traz novos aprendizados e oportunidades de corrigirmos experiencias mal resolvidas de atitudes inadequadas. Dessas atitudes inconvenientes é que nos sobram os traumas, as fobias, a ansiedade, angústia, os medos, distúrbio bipolar, síndrome do pânico e demais inseguranças de nossas almas. Defeitos e vícios que vivemos no passado e ainda trazemos em nós continuam a nos perturbar vindos através de ideias inatas, índoles delituosas, tendências que temos que corrigir. As nossas doenças, dificuldades e sofrimentos decorrem dessas experiências infelizes do passado. Quando Jesus nos disse vigiai e orai foi para que procuremos nos corrigir no presente e não nos envolvermos com coisas negativas que aparecem ainda em nossas mentes.

Para que aprendamos a fazer de nossas mentes um celeiro de bençãos, de valores e virtudes positivas! Os Espíritos obsessores se aproveitam de nossas imperfeições para nos dominar. Eles tentam habilmente trazer arquivos mal resolvidos do nosso passado para o presente e com a revivência deles abaixar nossa vibração e, assim, podendo nos dirigir. Vamos dar dois exemplos de como Jesus agiu na mente de Madalena e de Zaqueu, para entendermos como os obsessores também agem. Conta-nos Humberto de Campos, por Chico Xavier que Madalena depois de assistir várias preleções de Jesus na multidão foi convidada por amigos para ir até a casa de Pedro, onde ele iria à noite participar de uma reunião. Ela foi. Jesus quando vinha se aproximando da casa de Pedro viu Madalena rodeada por sete espíritos obsessores, ainda do tempo em que levava ma vida mundana. Ele enviou à mente de Madalena pensamentos elevados reforçando os ensinamentos do evangelho para que ela se lembrasse. Madalena passou a pensar nesses ensinamentos com sinceridade e desejo, e a sua aura foi ganhando luz pelos pensamentos positivos e os obsessores se afastaram. O mesmo ocorreu com Zaqueu muito ligado as riquezas materiais, quando no tempo, Jesus de longe mentalmente o inspirou a meditar sobre riquezas mas importantes, as espirituais. Assim, utilizando o mesmo processo, os obsessores procuram colocar em nossas mentes ideias ligadas as nossas deficiências, nos estimulando a reativa-las em nós, abrindo arquivos do passado que estão no inconsciente. Ideias de sexualidade desregrada, vícios, culpas. A maioria das pessoas acha que são elas que estão pensando nisso e embarcam na prática desses erros, defeitos e vícios. Com isso facilitamos a aproximação dos obsessores que permanecem conosco enquanto durar nossas relações com essas ideias corrompidas. Por isso a Espiritualidade nos disse na questão 459 do L.E., que são os espíritos que muitas vezes nos dirigem. Se ficássemos atentos ao que Jesus nos recomendou, vigiai e orai isso não ocorreria. Se não mudamos, melhorando intimamente, a espiritualidade não pode nos ajudar.

No livro missionários da Luz, cap. 19, o mentor... explica a André Luiz o caso dos 10 passes. Um senhor já estava recebendo ajuda há 10 semanas no Centro, onde os espíritos operavam a retirada do seu fígado e baço de energias deletérias que estavam pressionando desses orgãos. Após 10 semanas retirando essas energias, o mentor disse que tinham ordens superiores para parar de ajudar, pois aquele homem mesmo recebendo orientação através de intuições, palestras, livros, atendimento fraterno, continuava agindo da mesma forma, colérico, mal humorado, desrespeitando as pessoas, agredindo e assim voltando a acumular energias negativas em seu corpo. Será entregue a si próprio, diz, pois "Nossa missão é de amparar os que erram e não de fortalecer os erros".