União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

A Caridade Só Faz o Bem

Um homem procurou Chico Xavier pedindo ajuda para suas aflições. Depois de ouvir a narrativa, Chico disse que o problema era complexo e sugeriu a ele que buscasse realizar tarefas na caridade e doação ao próximo. O homem decidiu, então, por visitar os detentos na enitenciária da cidade, oferecendo almoço e uma palavra amiga. As semanas se seguiram, e aos domingos podíamos encontrá-lo junto às pessoas na preparação do almoço e no diálogo com os seus atuais amigos. Sua esposa, porém, começou a cobrar-lhe a presença no lar, pois justamente nos domingos ele não estava junto de sua família, mas na semana seguinte ela decidiu por acompanhá-lo e outros amigos também se uniram na tarefa. Passado algum tempo, Chico Xavier perdeu o contato com aquele homem e só voltou a reencontrá-lo após longo período.

Chico, preocupado, perguntou sobre sua problemática familiar e o homem passou a narrar que suas dificuldades estavam solucionadas. Chico então ao agradecer a Bondade Divina pela inspiração e a melhora daquela família é informado por seus “Amigos do Bem” que aquele caso foi surpreendente, revelando que a força do amor é reparadora, é curadora, é fonte de esperança, pois as mães e os familiares desencarnados que tinham seus filhos e seus entes queridos naquele local se interessaram por saber quem era aquele homem que deixava sua casa para socorrer seus filhos presos. Quem era ele? Onde morava? Como era sua vida? Assim, marcaram um dia para ir conhecer o lar daquela criatura tão especial e quando lá chegaram observaram a grave situação que ele vivenciava, sua imensa dificuldade familiar. Reunidos buscaram, em preces, pedir aos emissários de Jesus que pudessem intervir na difícil tarefa, e houve por bem o envio de recursos que propiciou a solução da problemática. Chico encerra: “O amor é o caminho de nossa paz e bem. Quanto mais amarmo-‑nos e amarmos, maior será nossa

plenitude”. (livro “FRASES, DICAS E HISTÓRIAS MARAVILHOSAS” de Orlando Nussi)