União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

Terapêutica espírita I - O Passe

Mergulhados no Fluido Cósmico Universal, consciente ou inconscientemente, fazemos dele o veículo de nossos pensamentos e de nossa vontade, como Espíritos livres e cocriadores que somos. A qualidade boa ou má dessa vibração fluídica está intimamente ligada à natureza do emissor, o que equivale a dizer que nossos pensamentos imprimem, no Fluido Universal, as marcas do estado mental de quem os produziu, podendo ser classificados como bons ou maus fluidos.

Recordemos Jesus quando afirmou que pelo fruto se reconhece a árvore. O fruto é a síntese da árvore de onde proveio, como o pensamento é a síntese das qualidades morais do Espírito que lhe deu origem. Portanto, como o fruto identifica a qualidade da árvore, o pensamento é a expressão da natureza moral do Espírito.

O Pensamento Divino abarca todo o Universo e tudo o que existe: é Luz, é Vida, é Amor!

A camada trevosa que envolve a Terra resulta do estágio espiritual de sua população encarnada e desencarnada que tisna a Luz Divina com sua produção mental desequilibrada. Mas essas emanações mentais de má qualidade só têm vida enquanto o ser humano persistir nos desequilíbrios de toda ordem.

Modifique-se o homem e todas essas regiões escuras que ainda persistem em torno de nossa Casa Cósmica irão se desfazendo com a transformação espiritual de seus habitantes. São nossas imperfeições que alimentam esses fluidos viscosos e escuros tão bem descritos pelo Espírito André Luiz através da pena psicográfica de nosso inolvidável Chico Xavier.

Allan Kardec é claríssimo quando afirma que o Fluido Cósmico Universal é o veículo do pensamento como o ar o é para o som. E mais: o pensamento e a vontade imprimem direção, coloração, forma aos fluidos, alterando suas propriedades como um químico em seu laboratório. (in A Gênese, capítulo XIV)

Esses conhecimentos aplicados ao dia a dia, remete-nos ao Evangelho Segundo o Espiritismo (capítulo XIX, item 5) em que o Codificador esclarece-nos quanto ao poder da Fé sobre a ação magnética do Espírito: graças a ela – a Fé – o homem “age sobre o fluido, agente universal, modifica-lhe as qualidades e lhe dá impulso por assim dizer, irresistível.”

A modificação das qualidades desse fluido deve-se à assimilação das energias psicofísicas do ser pensante que age sobre ele.

A Doutrina Espírita traz à luz leis até então desconhecidas do homem deslumbrado pelos ditos “milagres” e pelo sobrenatural. Oferece-nos a bênção da terapêutica espírita do passe com toda a naturalidade do fato inconteste da ação do pensamento e da vontade sobre os fluidos, tão bem descrita pelo Codificador no referido capítulo de A Gênese.

“No processo do passe e da irradiação transmitimos aos outros, pelo mecanismo da nossa vontade, a carga de força vital que dispomos para doar.” (André Luiz/Chico Xavier in Evolução em Dois Mundos). O impulso irresistível a que se refere Allan Kardec, vence distâncias inimagináveis, atingindo o alvo de nossa intenção.

Portanto, o passe pode ser ministrado à distância – irradiação – “desde que haja sintonia entre aquele que administra e aquele que o recebe”. (André Luiz/Chico Xavier in Nos Domínios da Mediunidade)

E, para se receber os benefícios dessa terapêutica, conclui o autor: “mente e coração deverão funcionar como ímãs atraindo e aglutinando forças curativas.”

Poderíamos afirmar que compete, àquele que recebe, metabolizar essas energias psicofísicas que lhe são endereçadas pelo passista secundado por Benfeitores Espirituais, através da
mente sintonizada à fonte emissora, guardando fé, respeito e recolhimento, atitudes imprescindíveis ao sucesso dessa terapia.

O Médico Divino, diante do cego, inquire: “Que queres que eu faça?” E, o pobre homem, que buscou Jesus responde: “Quero ver!”

A lição reflete perfeitamente os ensinos dos Espíritos: a sintonia entre o cego e o Mestre: ele buscou e Jesus curou. Naturalmente que não há a pretensão de quem quer que seja em
obter os resultados sublimes alcançados por Jesus, mas, de acordo com o merecimento e as necessidades de cada um, podemos espalhar fluidos que confortem e amenizem a dor dos que
sofrem, nossos irmãos em Humanidade.

Façamos, pois, a nossa parte, confiantes de que “as portas do Céu sempre estão abertas”, na expressão de Emmanuel!

Catarina Ângela