União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas
Calendário Espírita USE Piracicaba
1
Qua
2
Qui
3
Sex
4
Sáb
5
Dom
6
Seg
7
Ter
8
Qua
9
Qui
10
Sex
11
Sáb
12
Dom
13
Seg
14
Ter
15
Qua
16
Qui
17
Sex
18
Sáb
19
Dom
20
Seg
21
Ter
22
Qua
23
Qui
24
Sex
25
Sáb
26
Dom
27
Seg
28
Ter
29
Qua
30
Qui
31
Sex

A Humanização do Centro Espírita ( 37 sugestões)

A Humanização do Centro Espírita ( 37 SUGESTÕES)
A Humanização do Centro Espírita ( 37 SUGESTÕES)
A Humanização do Centro Espírita ( 37 SUGESTÕES)
A Humanização do Centro Espírita ( 37 SUGESTÕES)

Notícias Caminhos de Luz >>

 

Tv Da Federação Espírita Brasileira

Leia O Evangelho segundo o Espiritismo

Mensagens >>

Dá do que tens e do que és, a benefício dos outros. Se os outros não te (...)

Pensamentos >>

   “.Quanto mais você fizer pelo próximo, com certeza, mais Deus fará por você.”.  (Jairo Capasso)                                         (...)

O Arauto >>

 Pág.7 - Mocidade

Poesias >>

Autor: Médium: Chico Xavier Espírito: Francisco Lobo da Costa Quando a (...)

Auta de Souza Derrama o coração pelo caminho Tange a lira (...)

Cornélio Pires - "Não agüento sofrer! Estou vencida..." - Gemia Maricota (...)

Artigos Mais Lidos >>

                                   

O GRANDE PROBLEMA, PORÉM, É QUE O HOMEM E A MULHER MODERNOS AINDA NÃO APRENDERAM A CONVIVER COMO IRMÃOS -Divaldo Franco



 

 

RETORNANDO A ASSIS

 

 

 

Aproximadamente há trinta anos vivi a notável experiência de visitar a cidade de Assis, procurando reencontrar o inolvidável São Francisco. A magia da sua vida que vem sublimando outras vidas ao longo da História embriagou a minha infância e juventude, oferecendo-me a doce presença de Jesus no mundo atribulado e enfermo dos tempos…

As suas sublimes canções embalaram a minha existência, convidando-me ao enternecimento e à esperança de que é possível amar-se a tudo e a todos, voltando-se à infância com toda a sua ingenuidade.

Pareceu-me revê-lo pelas ruas de pedras irregulares cantando as baladas enternecedoras que se tornaram inolvidáveis.

Jamais hei-me olvidado do seu amor por todas as criaturas, assim como da sublime entrega de Clara ao seu chamado de misericórdia e de compaixão.

Neste ínterim, retornei por diversas vezes, reencontrando-o sempre nas alamedas dos foras da cidade e das suas paisagens iridescente cobertas de lavanda em flor…

Estou novamente na cripta de São Francisco, reflexionando sobre a sua mensagem nestes dias de ultraje e agressividade, de desespero e de injustiça, de violência e de horror…

A sociedade que alcançou as estrelas e as micropartículas não conseguiu fazer-se solidária à dor que ulula em toda parte aguardando oportunidade de renovação.

Aos meus ouvidos chegam as notícias de que a guerra da Síria terminou, ao tempo em que reacende a raiva iraniana contra os judeus e Gaza é tomada pela expectativa de bombardeios.

O grande problema, porém, é que o homem e a mulher modernos ainda não aprenderam a conviver como irmãos, dando-se conta da transitoriedade das conquistas inúteis e do vazio existencial que devora povos e indivíduos, reduzindo tudo ao caos.

Em uma análise mais profunda constato que é muito fácil amar e compreender o próximo, bastando uma autovistoria desvelando as próprias dificuldades.

A tecnologia de ponta aproximou os indivíduos, reduziu as distâncias, ao tempo que produziu uma incomensurável solidão, proporcionando um individualismo perverso e destruidor da alegria de viver e de cantar.

Logo mais, voltarei a esse mundo diferente onde vivo e desejo rogar-te, Irmãozinho dos animais de amigo da Natureza, que venhas comigo e com todos aqueles que te visitam, ajudar-nos a disseminar a paz e o amor nas existências estioladas e nos sentimentos amargurados.

Se voltares a cantar outra vez e te utilizares de nossas vozes para dialogar e nossos braços para servir, estaremos sendo instrumentos da paz de Deus no mundo.

 

Artigo publicado no jornal A Tarde, coluna Opinião, Salvador, Bahia,  em 17-05-2018.