União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

A louca

A Praça da Sé é o local onde ela habita,
Mísera mendiga acuada no desencanto.
Sinto meu peito arder ao seu dorido pranto,
Que a população escuta, desdém e até evita...

"-É louca, é velha, é pedinte, é maldita!"
Cismam todos, ao vê-la, sem nenhum espanto.
E eu passo e a vejo imponente num sujo manto,
Que a coitada agarra no estertor que lhe agita...

Percebo que ela conversa com o vazio:
Resmunga, aponta, vocifera e enfim implora
Como se visse um monstro que lhe apavora...

E sensitivo escuto estranho vozeiro:
"-Rainha assassina!". Acusam-na, sem perdão,
Almas já mortas que lhe perseguem em legião!...

(Gigio Jr - Poemas da Espiritualidade 2008)