União das Sociedades Espíritas
Intermunicipal de Piracicaba

Pesquisa por Casas Espíritas Afiliadas

Pelo Caminho (Revelação de caminho da Reencarnação)

Através dos tempos...caminhei
Vi, ouvi e senti
Coisas de todas as coisas

Andei por caminhos
Cheios e vida
Mas, também, por caminhos inertes

Encontrei gente que era gente
E espectros...
Havia Sol
Mas não havia luz

Outras vezes, havia luz
Sem sol...
Gente que tremia
Gente que ria...

Estradas desertas
E as que não venciam a passagem
Houve pensamentos...
Atos, fatos
Ajuda...e traição

Homens de crenças, mil crenças
E sem nenhum credo...
Paragens transbordantes
E paragens secas...

Vi regatos, rios, oceanos
Mares, campos e florestas
Luzes para o despertar
E o silêncio para chorar...

Festas, alegrias e mentiras
Vontades, sem vontades
Glórias, sem glórias
Vi tudo, e não vi nada...

O homem, o tempo: -
Um, que existe sempre,
O outro que nem sempre existe:

Homem! Homem!
De todos os gólgotas
E de todos os calvários
Foste a linha e a entrelinha
O começo e o fim...

Ùnico causador
De tua ruína!
Do teu prazer
Ou do teu desespero
Tu, somente!....

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Nota: Quando escrevi este poema, ainda não era espírita. Cheguei de uma festa e, em casa, sozinho, senti um vazio e grande vontade de penetrar no íntimo das coisas, compreender a vida. Minha alma dizia que a vida tinha muito a nos contar ainda. E Assim, uma vontade enorme de escrever surgiu e escrevi esse poema.
Mais tarde, quando me tornei espírita, percebi que ele trata da REENCARNAÇÃO.